Da piscina para o mar

08
jan 2016

08_01_blog_natacao

Morar longe do mar não é desculpa para nadadores de verdade. Se eles tiverem acesso a uma piscina e um pouco de força de vontade podem se preparar para nadar onde for. Como? Assim:

De olhos bem fechados

Uma das maiores dificuldades de quem troca as piscinas pelo mar é a orientação. Na natação em piscinas, os nadadores se acostumam a utilizar o fundo das mesmas para se orientar e alinhar o corpo. No mar não há essa moleza e, muitas vezes, um nado que deveria ser reto, acaba com alguns bons vários metros de desvio.

Quer ter um resultado melhor? Treine nadar de olhos fechados na piscina. Faça isso umas 10 vezes (ida e volta) e, depois, repita a dose com os olhos abertos e retos. Repita o exercício até perceber que você conseguiu se manter numa linha reta constante enquanto nadava com os olhos fechados.

Treine saídas rápidas e fortes

Uma outra característica da natação em águas abertas é a sua saída rápida. Quem já participou ou assistiu uma prova realizada no mar sabe que o bolo de atletas que se forma no começo da competição é um tormento. Por isso mesmo, a elite costuma imprimir um ritmo mais veloz nas saídas, na esperança de se distanciar ao máximo dessa turma.

Ah! Aproveite acostume-se a baixar o ritmo de forma gradual também. De nada adianta tentar nadar na sua velocidade máxima durante toda a prova: você só vai se cansar mais rápido e não terá energias para dar um gás na reta final.

Nade economicamente

Falando em gás, a forma mais eficiente de economizar energia dentro da água é nadando um número maior de metros com menos braçadas. Conte quantos movimentos você precisa para ir de uma extremidade da piscina até a outra e vá abaixando esse número nos seus treinos.

Travessia marítima

26
jun 2015

26_06_blog_natacao

 

A piscina é seu habitat natural, mas, depois de enfrentar diversas braçadas e raias, você quer superar outros desafios, certo? Mudar o cenário pode ser uma das alternativas, você pode se aventurar na travessia marítima.

Nadar em mar aberto e na piscina são modalidades bem diferentes. Você precisa se precaver ainda mais dos obstáculos que terá que enfrentar em mar aberto.

Há muitas diferenças entre um e outro, sendo algumas negativas e outras positivas. No mar você não consegue enxergar o fundo, além disso, a água apresenta diversas tonalidades que podem gerar um nervosismo para o atleta, por isso, se acalme na hora de nadar.

Mas não são só pontos negativos que cercam a travessia marítima. Por causa do sal a água do mar é mais densa, facilitando assim a flutuação do corpo. Além disso, a velocidade do nado no mar tende a ser maior do que o da piscina.

Antes de participar da travessia, ou de qualquer outra prova, treine bastante. Travessias de 5.000m requerem, pelo menos, um treino regular de quatro à seis horas, percorrendo, pelo menos, 50% da distância do percurso que você irá atravessar. Não faça seus treinamentos sozinhos, tenha sempre o auxílio de um treinador e, se for o caso, realize exames médicos antes da prova.

Se for sua primeira travessia marítima, peça que seu treinador te acompanhe. Oriente-se por um ponto de referência para não se perder, como barcos, competidores ou outro ponto que te deixe mais confortável.

Depois de sua travessia, e de tudo dar certo, providencie um agasalho. Hidrate-se com isotônicos e depois com água. Beba nesta ordem, senão seu corpo, com estômago vazio não absorverá tão bem os líquidos. Faça um alongamento leve e depois de 20 minutos repita os movimentos com mais intensidade.

A travessia marítima elevará seu extinto de campeão e te dará forças para lutar dentro do mar sempre. Para isso se prepare bem e tenha uma ótima travessia!