Sarah Thomas e as braçadas da superação

01
out 2019

Um ano após se tratar de um câncer de mama agressivo, Sarah Thomas se tornou a primeira pessoa a cruzar o Canal da Mancha por quatro vezes seguidas. Na hora de agradecer, dedicou a conquista a “todos os sobreviventes (do câncer) por aí”. Continue lendo para conhecer essa história incrível, cheia de inspiração.

O desafio de Sarah Thomas começou nos primeiros momentos do dia 15 de setembro, e só terminou 54 horas e 10 minutos depois, quando a mulher de 37 anos atravessou, pela quarta vez seguida, os mais de 30 km do Canal da Mancha, que liga as cidade de Dover, na Inglaterra, e Calais, na França.

Na manhã no dia 17, Sarah Thomas havia conquistado não somente o recorde da travessia, nadando quase 209 km sem parar, mas também a admiração de todos que acompanharam e souberam de seu esforço sobre-humano. A atleta superou as fortes correntes marítimas, a água salgada e até mesmo as águas-vivas — um dos animais, inclusive, queimou seu rosto.

A batalha contra o câncer de mama
No último ano, Sarah Thomas enfrentou um tratamento pesado contra o câncer de mama e todo o apoio necessário para lutar contra a doença veio da natação. A relação da atleta com as águas abertas, aliás, já tem algum tempo: ela cruzou o Canal da Mancha em 2012 pela primeira vez e repetiu o feito em 2016.

Mesmo sem se sentir 100%, como afirmou antes de mergulhar na água, a guerreira Sarah Thomas sabia que, depois de tudo o que enfrentou, podia superar mais esse desafio com a garra que demonstrou nos últimos anos, ultrapassando as barreiras que a vida lhe impôs em relação à sua saúde.

A comemoração na chegada de Sarah, em Dover, foi regada a muita champanhe e chocolate. E depois de vibrar com a entrada no livro dos recordes mundiais, a nadadora decidiu que o melhor a se fazer era dormir um dia inteirinho — descanso mais do que merecido, né?

Fonte: Terra Esportes

Comentários encerrados.