Etiqueta à mesa para competidores campeões

07
dez 2018

Estranho o título, não é? Calma, ninguém vai te pedir para tirar os cotovelos da mesa durante as refeições. Estamos falando de um outro assunto: os bons modos alimentares para quem treina ou faz esportes e tem fome de vitória nas competições!

Isso mesmo, a alimentação é decisiva para a conquista de um grande desempenho na performance e também na recuperação das atividades. Não à toa, existem profissionais especializados no assunto – já ouviu falar em nutrição esportiva?

Fique com a gente para um aperitivo a seguir sobre o assunto!

Entradas: a alimentação pré-competições
Muitos atletas relatam que sentem dificuldade para comer antes das provas. Seja por acontecerem muito cedo, na parte da manhã, pela ansiedade, por se sentirem “pesados” ou enjoados. Porém, se você faz parte dessa turma e não tem conseguido atingir as suas metas, pode estar aí o problema!

O que comer varia de caso a caso, de modalidade para modalidade. No entanto, é fundamental garantir o combustível para arrebentar durante a ação, dando preferência a alimentos que o corpo já conhece e cerca de 3 horas antes da competição, para termos o tempo de digestão.

Não estamos falando de um banquete, mas alimentos e bebidas leves da classe de carboidratos de baixo IG (índice glicêmico), que liberam energia para o corpo e o cérebro progressivamente, costumam estar presentes nestes cardápios. São as oleaginosas, como castanhas e amendoim, frutas com menor IG, como maçã e laranja, cereais, lentilhas, iogurtes e massas integrais. Enfim, fale com o seu nutricionista esportivo e não pule as entradas!

Prato principal: mas como assim, comer durante a prova? Pode isso, Arnaldo?
Em alguns casos, como por exemplo, os esportes aquáticos, comer e digerir efetivamente durante a atividade pode ser muito difícil. Até por isso, normalmente dá-se ênfase à alimentação antes e após o exercício.

Contudo, às vezes, como no caso da natação, o ambiente de competição pode ser extremamente quente e úmido, ou ter outras adversidades de clima que exigem mais uso de recursos para adaptação e aumentam a perda de líquidos do corpo, afetando a concentração e nível de habilidade do atleta.

Então, possivelmente você precise de um reforço. Mas não precisa se empolgar: comumente, a recomendação do nutricionista esportivo nessa hora será para que você “faça o fino” e fique nas bebidas esportivas e energéticos, fluídos adequados para as sessões de treino prolongados que fornecem eletrólitos e carboidratos para dar mais explosão e não fazer feio nas piscinas.

Sobremesa: oba!
A orientação geral da etiqueta pós-prova é de consumir um snack de recuperação imediatamente, dentro de até 30 minutos depois de terminar a competição. Só não se anime muito: dificilmente seu nutricionista esportivo irá recomendar doces com alto teor de gordura, né? Geralmente, este menu inclui carboidratos complexos, proteínas magras e bebidas repositoras, como barras de cereais, sanduíches de frios com salada, sucos e isotônicos. Mais tarde, deve acontecer a refeição substancial que você merece. Afinal, que garra hein?

E pra você? Quais maneiras à mesa fazem toda a diferença na hora de se tornar campeão? Conte para gente o segredo. E não deixe de procurar um nutricionista para entender melhor as práticas alimentares para competidores. Acredite, faz toda a diferença!

Fontes de apoio: TáFitness.net | GloboEsporte.com | ViivaAssessoria.com | AmaralNatacao.com.br

Comentários encerrados.