Setembro Amarelo: prática esportiva diminui o índice de suicídio entre jovens

20
set 2018

Os índices de suicídios estão, a cada ano, chegando a números alarmantes. E o que é mais desesperador nesta estatística é a presença significativa de adolescentes. Ansiedade, depressão e diversas outras questões que fazem com que pessoas de 10 a 19 anos se sintam deslocados em seu meio são os principais motivos que levam a essa triste interrupção da vida. E neste cenário desolador, cientistas trazem um alerta: a prática esportiva diminui o índice de suicídio entre jovens.

A importância do Setembro Amarelo
Setembro é marcado pela cor amarela, que ativa o sinal de alerta e é a marca da campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Desde 2015, monumentos e o noticiário levam este delicado assunto para discussão, além de, durante todo o mês, serem promovidas palestras, divulgação de informações e orientação para toda a sociedade.

Segundo dados, de 2000 a 2015, os suicídios entre adolescentes de 10 a 15 anos aumentaram 65%; e na faixa dos 15 a 19 anos, 45%. Estes números representam cerca de 40% da média da população e significa que nossos jovens precisam, urgentemente, de ajuda.

Bullying, automutilação e transtornos alimentares são os assuntos mais recorrentes entre jovens. Estes podem ser os primeiros sintomas de algo que, se não acompanhado por um profissional da saúde, pode ter uma consequência muito grave. Perceber hábitos e sinais diferentes em adolescente, além de sempre ter boas conversas, ajuda a salvar vidas.

A prática esportiva diminui o índice de suicídio entre jovens
Apoio da equipe e o sucesso em uma área competitiva estão entre os fatores levantados no estudo do Centro para o Controle e Prevenção de Doença (CDC), dos EUA, como possíveis responsáveis pelo menor risco de suicídio entre jovens.

Liderada pelo cientista comportamental David R. Brown, a pesquisa aponta que a prática de uma atividade física diminui 2,5 vezes a probabilidade de homens terem um comportamento suicida, e em mulheres, o número é 1,67 menor. Não foi encontrado nenhuma justificativa conclusiva no estudo, mas entre as principais hipóteses estão:

  • diminuição do estresse e aumento do bem-estar por meio da liberação de endorfina;
  • apoio da equipe nos treinos;
  • enfrentamento de questões competitivas com menos severidade;
  • socialização;
  • comunhão entre lazer e cuidado com a saúde.

Os pesquisadores alertam que é preciso uma relação saudável com o esporte. Pessoas que transformam esta prática em mera disputa ou apenas um culto ao corpo perfeito, fazendo atividades intensa por seis ou sete dias semanais, revertem a estatística e têm o dobro do risco de um comportamento suicida.

Busque o CVV
O Centro de Valorização da Vida existe desde 1962 e durante este período auxiliou pessoas que buscaram ajuda pelo telefone ou em atendimentos nas sedes espelhadas em todo o Brasil. Em 1973, a instituição foi reconhecida como Utilidade Pública Federal e hoje, junto ao Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde, organiza ações abertas à comunidade para promoção da vida.

Desabafar e procurar ajuda colabora para um melhor entendimento de situações que parecem não ter solução. Em 2017, o CVV recebeu cerca de 2 milhões de ligações e, atendendo gratuitamente nos 23 estados brasileiros, colaborou para que histórias não acabassem tragicamente.

Em qualquer lugar do país, ligue 188 para atendimento anônimo e, caso prefiro, no site da CVV também é possível conversar pelo chat. Este contato é muito importante, pois segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% dos casos poderiam ser prevenidos.

Você nunca está sozinho. Se conhece alguém que precisa de um auxílio ou acredita que implementar atividades físicas fará bem à sua saúde, comece aos poucos e/ou converse com alguém sobre esta possibilidade. O primeiro passo é difícil, mas você encontrará suporte sempre.

Fontes:
Ligação para prevenção ao suicídio
Jovens praticantes de esporte: menor propensão ao suicídio
Exercícios podem inibir ideias suicidas
Os enigmas do suicídio
Centro de Valorização da Vida

Comentários encerrados.