Ana Marcela transforma decepção em títulos após ficar fora dos Jogos de Londres

17
out 2014

Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquaticas

Satiro Sodré

Em 2011, ela ficou sem chão, quando por uma posição ficou fora dos Jogos Olímpicos de Londres na prova dos 10 km do Mundial de Xangai, que serviu como seletiva olímpica para Londres. Ana Marcela Cunha ficou decepcionada, mas não desesperada e jamais pensou em desistir. No mesmo Mundial, dias depois, conquistou o título mundial dos 25 km. No ano seguinte, no ano olímpico, foi campeã pela segunda vez da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas, competição toda disputada na distância olímpica de 10 km. E agora, praticamente repete o feito, bastando largar na última etapa da Copa do Mundo 2014, na Travessia de Hong Kong, no próximo sábado.

– Terminar em 11º e ficar de fora das Olimpíadas foi uma frustração. Mas aquilo me motivou ainda mais a correr atrás do sonho de qualquer atleta, que é disputar os Jogos (Ana Marcela participou da estreia das maratonas aquáticas como modalidade olímpica, em Pequim/2008, quando terminou em 5º lugar). Agora, vou passo a passo, penso somente na próxima prova a disputar. E assim vou montando a estratégia para aquele desafio, conforme as adversárias, a água e a temperatura ambiente – disse a baiana, de 22 anos.

No próximo sábado, no encerramento do circuito da Fina, a nadadora do Sesi pode conseguir um feito inédito. O de disputar toda a competição (oito provas) sem sair do pódio. Até o momento, Ana participou das sete etapas realizadas e colocou medalhas no pescoço em todas elas.

– Já que o título está garantido, bastando participar da última prova, como manda o regulamento, minha motivação é “medalhar”. Nunca conseguiram isto. Em cada travessia, enfrentei condições diversas e, ao menos, uma adversária de peso. Isto dá mais experiência e confiança em ser uma atleta mais completa.

Fonte: Ahe Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.