Brasil é campeão do Raia Rápida 2014 com melhor tempo do mundo no revezamento.

15
set 2014

O Brasil é campeão pela primeira vez do Raia Rápida. A equipe brasileira venceu duas das quatro provas individuais chegando a três finais e completou o dia conquistando o revezamento com o melhor tempo da história do revezamento 4×50 medley masculino.

50 BORBOLETA

Foi um show de Nicholas Santos, capaz de vencer todas as baterias e terminar com uma vitória com 22:97, terceiro tempo do mundo. Na sua frente, apenas o ucraniano Andrey Govorov 22:87 e o inglês Ben Proud com 22:93, ambos feitos no Campeonato Europeu.

Nicholas teve a capacidade de administrar nas três baterias marcando 23:74, 23:76 e o tempo da vitória com 22:97. O adversário é conhecido, o americano Eugene Godsoe, vice campeão mundial da prova e que fez a final do ano passado com Nicholas.
Com o título, Nicholas é o primeiro (e único) bi campeão do Raia Rápida.

1a bateria
1o Nicholas Santos 23:74
2o Eugene Godsoe 23:91
3o Jayden Hadler 24:32
4o Giulio Zorzi 24:44

2a bateria
1o Nicholas Santos 23:76
2o Eugene Godsoe 23:86
3o Jayden Hadler 24:30

3a bateria
1o Nicholas Santos 22:97
2o Eugene Godsoe 23:79

REVEZAMENTO 4×50 MEDLEY

Pela contagem de pontos ao final das provas individuais, apenas o título servia ao Brasil. Brasil, Estados Unidos, África do Sul, qualquer uma destas três equipes, quem vencesse o revezamento seria campeã do Raia Rápido 2014. Apenas a Austrália, mesmo que vencesse não teria chances de chegar ao título, e na prova mostrou que isso não seria possível.

O costas foi equilibrado, trouxe de volta o australiano Daniel Arnamnart e o americano David Plummer eliminados pelas escorregadas e colocou a dupla finalista. Com início equilibrado, o sul-africano Gehard Zandberg cresceu no final e tocou na frente com 25:24, Estados Unidos em segundo com 25:39 e Guilherme Guido em terceiro com 25:47.

O Brasil foi tomar a frente com Felipe França. O parcial de 26:76 contra 27:59 de Cameron van der Burgh já nos dava a liderança quando Nicholas Santos pulou na água.

Nicholas não conseguiu repetir os 22 da prova individual, mas mesmo assim conseguiu segurar a liderança com um parcial de 23:37. Aqui foi os Estados Unidos que cresceu com o melhor parcial de borboleta de Eugene Godsoe com 23:16.

Quando Matheus Santana pulou na água, o Brasil era líder com 84 centésimos de segundo de vantagem sobre os Estados Unidos. Aí vale recordar a pergunta da Best Swimming na entrevista coletiva de quinta-feira para Matheus: “Você vai receber o revezamento na frente e esta responsabilidade de fechar?”. A resposta foi simples, direta e objetiva: “Se eu receber na frente, o Brasil vai ser campeão”.

E foi!

Matheus fechou para 22:00, os americanos chegaram perto, muito perto. Anthony Ervin vinha crescendo muito e fechou com 21:31. Brasil campeão com 1:37:60, Estados Unidos vice 1:37:75, Austrália em terceiro 1:39:15, Austrália fechando raia, mais uma vfez, 1:42:29.

O tempo do Brasil é o novo melhor tempo da história superando os 1:38:23 feitos pela Austrália no ano passado. O 4×50 medley em piscina longa não tem recorde mundial, apenas é reconhecido como o melhor tempo do mundo.

O Brasil pela primeira vez, na terceira edição do Raia Rápida é o campeão geral da competição.

Parciais
Brasil –
Guilherme Guido 25:47, Felipe França 26:76, Nicholas Santos 23:37, Matheus Santana 22:00

Por equipes tempos oficiais:
África do Sul – 25:24, 52:83, 1:17:21, 1:39:15
Austrália – 26:20, 54:60, 1:19:02, 1:42:29
Brasil – 25:47, 52:23, 1:15:60, 1:37:60
Estados Unidos – 25:39, 53:28, 1:16:44, 1:37:75

Classificação final do Raia Rápida
1o Brasil
2o Estados Unidos
3o África do Sul
4o Austrália

Fonte: Best Swimming

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.