CAFEÍNA E NATAÇÃO

26
mai 2013
Conteúdo Editorial Revista Swim Channel

Consumir o estimulante aumenta o fluxo sanguíneo do atleta

Por Renê Almeida Leite

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. Em geral, seus efeitos consistem em aumentar o estado de alerta e reduzir a sensação de fadiga (cansaço). Mas também pode melhorar a capacidade do nadador para realizar determinadas tarefas, principalmente durante treinos físicos. Seu pico de ação é de 30 a 45 minutos e a meia-vida chega a 3 horas, ou seja, tempo suficiente para realizar qualquer treinamento.

O consumo da cafeína gera agitação e aumento da ansiedade. Tais estímulos podem também melhorar a concentração do atleta momentos antes de uma competição. A cafeína proporciona efeitos inotrópicos estimulantes e vasodilatadores, intensificando assim o fluxo sanguíneo. Consequentemente, aumenta a quantidade de oxigênio levada aos músculos.

Tal benefício é atrativo não somente para a natação mas também para diversas modalidades esportivas. Por ser estimulante do sistema nervoso central, a cafeína faz com que a pessoa se sinta mais animada e estimulada por mascarar o cansaço e a dor. Dessa forma, aumenta a eficiência, o controle e a produção de energia durante treinos mais intensos.

A quantidade saudável de consumo diário de cafeína é de até 6 mg por quilo de peso corporal (2,5 xícaras de café expresso [100 ml] contêm por volta de 250 a 400 mg de cafeína). Assim como diversos outros tipos de alimento, o consumo excessivo ou em doses maiores de cafeína produz efeitos negativos, como ansiedade e insônia. Outra ação importante é o estímulo à diurese (produção de urina), entre outros mecanismos. Por isso é preciso ficar atento para não se desidratar com o uso dessa substância.

Embora a cafeína lembre o nome café, não é somente nessa bebida que encontramos esse estimulante. Alimentos como chocolate, chá, refrigerantes e energéticos também a possuem. E vale ressaltar que a Agência Mundial Antidoping (WADA) não a considera como substância proibida.

É bom sempre lembrar que o excesso nunca é saudável, mas na medida certa podemos contar com a cafeína para melhorar o desempenho esportivo.

Renê Almeida Leite é nutricionista e especialista em fisiologia e biomecânica do exercício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.