Corrida na areia ou no asfalto?

29
jan 2019

Na estação mais quente do ano, quem não quer manter a corrida em dia e praticar exercícios olhando o visual da praia, sentindo a área nos pés, não é mesmo?

Nesse artigo, vamos abordar as diferenças entre correr na areia e no asfalto, mas também vamos te ajudar a entender por que cada ambiente tem uma característica diferente e exige também cuidados distintos para não prejudicar a sua corrida, o seu desempenho e o seu corpo. Vamos lá?

Diferenças entre correr na praia e no asfalto
A principal diferença está na instabilidade e absorção do impacto gerado pelo peso do corpo. No asfalto, por exemplo, você tem mais estabilidade pelo concreto, enquanto na areia, o impacto é menor nas articulações.

A praia pode levar vantagem, como exigir mais da musculatura do corpo, mas, em outros quesitos, é o asfalto que se destaca, pelo menor risco de lesões.

Ah, e quanto mais fofa for a areia, mais força muscular será solicitada, além de reduzir proporcionalmente a velocidade. A areia batida provoca uma sensação semelhante ao asfalto pela estabilidade que existe, porém com impacto bem menor.

Vantagens e desvantagens
Correr gera queima de calorias e melhora o condicionamento físico e cardiovascular. Mas, também exige várias escolhas que podem interferir no seu desempenho e na sua saúde. Veja algumas vantagens e quais cuidados você precisa ter na hora de treinar no asfalto ou na areia:


ASFALTO

VANTAGENS CUIDADOS
  • Aumento da resistência
  • Devolve o impulso da passada
  • É mais difícil sofrer algum tipo de lesão
  • Recomendado para treinos longos
  • O impacto nas articulações pode ser maior, por conta do piso ser mais rígido

 

AREIA

VANTAGENS CUIDADOS
  • Desenvolve a força e a resistência
  • Exige muito mais dos músculos
  • Recomendado para treinos curtos
  • Tem mais chances de lesões, por conta do desnivelamento
  • Pode forçar muito os joelhos e o quadril
  • Pode sobrecarregar somente um dos lados do corpo

 

Lembre-se que vale checar com um médico as condições para cada um desses tipos de esforços, combinado?

Qual atividade queima mais caloria?
Como vocês já sabem, correr é um dos exercícios que proporciona maior gasto energético. E a queima calórica aumenta quando você treina na areia, sabia? Então, vamos te explicar. Quando você pisa no chão macio, seu pé afunda e, com isso, obriga os músculos dos membros inferiores a se esforçarem mais para levantar as pernas e movimentar o corpo. Além disso, também exige que a musculatura faça constantes adaptações para se manter na posição correta, sendo assim, o consumo de combustível aumenta.

Esperamos que essas dicas tenham te ajudado e seja qual for seu estilo favorito, o importante é se mexer, praticar aquela atividade adequada e que você se sinta confortável.

Desejamos boa sorte nos treinos e até a próxima!

Fonte: Ativo | Up Sigvares | Globo Esporte | Minha Vida | Bol Notícias

Janeiro Branco e Atividades Físicas

14
jan 2019

A Campanha Janeiro Branco é totalmente dedicada à conscientização e à prevenção em relação à Saúde Mental, realizada por psicólogos(as) e estudantes em parceria com todos os demais profissionais do universo da saúde.

Em janeiro, algumas pessoas têm a sensação de um recomeço, novos planos e novo estilo de vida. Por outro lado, passam por um processo doloroso ou um sentimento de melancolia de fim de ano. E, neste contexto, a cor branca representa o quadro ou um papel em branco, o momento certo para escrever ou desenhar uma nova história.

No esporte é muito comum a tensão ou a ansiedade antes de participar de um campeonato, por exemplo. Por isso, é muito importante cuidar da saúde mental e fazer uma prova com mais tranquilidade.

Começamos contando um pouco do mês de janeiro e por que ele foi escolhido para o início de uma campanha, e agora, vamos falar sobre a importância de cuidar da mente aliado às atividades físicas, combinado? 🙂

Cuidar da mente é cuidar da vida
Infelizmente, a saúde mental ainda é um tabu na sociedade. Por parte de alguns grupos de pessoas existe preconceito com relação à fazer terapia com o psicólogo e que procurar ajuda é apenas em último caso, mas não é bem assim! Ainda bem que hoje existe a compreensão que o psicólogo cuida da saúde mental e da parte emocional. E vamos combinar, esse lado emocional todos nós temos, não é mesmo?

De acordo com os dados do relatório realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país mais deprimido e ansioso da América Latina e nos últimos dez anos, o número de pessoas com depressão aumentou 18,4% – isso corresponde a 322 milhões de indivíduos. Para piorar, os brasileiros estão levando esses índices para o alto. No nosso país, 5,8% dos habitantes sofrem de algum tipo de transtorno mental, a maior taxa do continente latino-americano. Nós também somos campeões mundiais no índice de ansiedade: 9,3% da população manifesta o quadro, e o sexo feminino é o que mais sente as consequências – 7,7% das mulheres são ansiosas e 5,1% são depressivas. Quando se trata dos homens, a porcentagem cai para 3,6% nos dois casos.

Isso mostra que as pessoas precisam começar a cuidar também de aspectos mentais e emocionais da sua vida. A atividade física é uma boa saída para ajudar nesses sintomas e é fundamental para a saúde do nosso corpo, seja física ou mental, além de trazer a sensação de bem-estar que todos nós buscamos.

Esporte e saúde mental
Para quem pratica esportes, sabe que o ambiente competitivo pode gerar ansiedade e preocupações que afetam o atleta e podem diminuir o seu rendimento. E, quando falamos de competições, seja no nível profissional ou amador, é comum que haja muita expectativa, pressão e até autocobrança – o que pode levar a um desequilíbrio emocional. Mas, existem algumas técnicas que ajudam no momento que o atleta se sentir dessa maneira. Essa é uma ótima forma para se acalmar, e, se feita corretamente, a respiração pode abaixar sua pressão sanguínea, promover a sensação de alívio e te deixar menos ansioso. Veja como:

1. Coloque uma mão sobre o peito e a outra sobre a barriga.

2. Respire profundamente, inspirando pelo nariz sem que seu peito se mova muito. Você se sentirá bem em relação ao diafragma e aos pulmões.

3. Faça isso durante alguns minutos e se permita. Tanto sua pressão quanto seus batimentos cardíacos vão diminuir.

Existe também o relaxamento progressivo, no qual o atleta contrai e relaxa grupos musculares separadamente e sequencialmente.

Vale ressaltar que tanto os exercícios de respiração quanto o de relaxamento progressivo são técnicas que devem ser inicialmente supervisionadas por um especialista.

Lembre-se: a performance não depende exclusivamente de qualidades físicas, boa condição nutritiva e qualidade técnica. É fundamental que o poder da mente seja trabalhado para que haja sucesso na conquista dos objetivos.

Até a próxima!

Fontes: Psicologia para curiosos | Janeiro Branco | Estadão | Abril | Uol | Hospital Santa Mônica | Mais equilíbrio