5 brincadeiras para fazer na piscina neste verão

17
dez 2018

Férias escolares, viagens em família e verão! O fim de ano é cheio de emoções para todo mundo, e para você, amigos e família curtirem essa estação, trazemos em nosso blog algumas brincadeiras superdivertidas para serem feitas na água, claro!

Além de aproveitar a piscina, as atividades também ajudam a mexer o corpo para todos se exercitarem de um jeito descontraído e, no caso das crianças, ainda auxiliam no desenvolvimento da coordenação e no treino movimentos que são usados na natação. Quer ver quais são as brincadeiras? Continue lendo!

Marco Polo
Com pelo menos 4 participantes, o clássico das piscinas tem regras fáceis e é ótimo para toda a família. Você vai precisar apenas de uma venda para o pegador, que ficará no centro da piscina com os olhos vendados e que deverá adivinhar onde estão as outras pessoas apenas pelo som. Cada vez que ele gritar “Marco”, os outros jogadores deverão responder “polo”. Quem for pego se torna o novo pegador, recomeçando todo o jogo.

A atividade instiga os sentidos das crianças, colaborando também em sua concentração, já que elas dependem disso para não serem mais o pegador do jogo. Para os pequenos que têm medo da água, a brincadeira não é aconselhável, pois sem a visão eles podem se desesperar e passar por uma situação desconfortável.

Túnel
Já para a criançada que já é mais experiente na água, é hora de treinar novas habilidades! O túnel é uma brincadeira que pode ser feita em dupla e é bastante simples: o desafio é passar entre as pernas de outra pessoa. Uma dica é aumentar a dificuldade, deixando o espaço para a passagem cada vez mais estreito. Não esqueça os óculos de natação! Ter uma boa visão ajudará muito na hora de vencer essa prova.

Caça ao Tesouro
Brinquedos, tampinhas de garrafa ou qualquer objeto que afunde na água serão o tesouro que deverá ser caçado nesta atividade. Reúna as crianças fora da piscina e faça com que elas contem até 10 com os olhos fechados. Enquanto isso, você jogará os objetos na piscina em diferentes lugares. Assim que terminarem a contagem, elas deverão cair na água em busca das relíquias. Quem achar mais, ganha a competição!

Quando as crianças mergulharem, fique atento para que não passem muito tempo submersas e acabem engolindo água. Caso isso aconteça, chame o guarda-vidas imediatamente para auxiliar.

Queimada
Em duplas ou com times maiores, forme duas equipes e separe a piscina ao meio. O objetivo é acertar a bola no adversário sem deixar pingar na água ou sem que o outro time pegue a bola antes de encostar em alguém. Os queimados podem migrar para o outro time, ir para o “cemitério” para ainda ajudar na vitória da sua equipe ou saírem do jogo. Tudo depende das regras que você estipular no começo da partida.

Opte por bolas não muito pesadas para não machucar e não muito leves a ponto de não cruzar para o outro lado da “quadra”. Vai ser só diversão!

Vôlei
Um dos esportes mais praticados nas areias da praia durante o verão pode invadir a sua piscina também. Com uma rede e dois times, jogar vôlei na água é refrescante e extremamente divertido. A dica é usar a bola do grande jogador, Marcelo Negrão, para completar o jogo com chave de ouro. Sem contar que a movimentação mais lenta na água faz com que as jogadas se tornem motivos para boas risadas!

Prontos para se divertir? Lembre-se sempre de passar filtro solar e reaplicar a cada 2 ou 3 horas, além de ficar sempre atento ao horário para que as crianças não sofram com queimaduras solares ou insolação. Ah! Cheque sempre a profundidade da piscina antes de mergulhar com os pequenos: a altura ideal é abaixo do peito. Agora, com tudo pronto, aproveite tudo de bom neste verão!

Desafio Speedo 40

12
dez 2018

Quarenta atletas amadores de natação, nove meses de treino, duas provas progressivas e a meta final, a Fuga das Ilhas. Ao longo do tempo, os desafiados treinaram individualmente e coletivamente com a orientação dos “anjos”, que compartilhavam experiências, ajudavam a se preparar para cada uma das etapas e encorajavam os participantes.

O intuito principal do projeto foi motivar as pessoas a praticarem um esporte, adotarem um estilo de vida mais saudável e alcançarem seus objetivos. Mas, além disso, abrangemos o projeto para o campo social com a Correnteza do Bem, que contou com as doações feitas pelos próprios desafiados e pelo público geral.

Performance não é só para seres olímpicos
A jornada não foi fácil até aqui, foram meses de treinamento, suor e muita dedicação. Os participantes mostraram durante todo esse tempo o quanto eles são capazes de encarar novos obstáculos e se superar.

Cada desafiado tinha suas dificuldades e, a cada treino, mostravam suas vitórias. Alguns até achavam que não iam conseguir e, no fim, alcançaram o pódio.

Chegou o grande dia, mas, infelizmente, o mar não estava para peixe e por motivos de segurança a prova foi cancelada. Não ter concluído a Fuga das Ilhas foi somente um detalhe, a conquista é de todos e o maior desafio foi durante todo o projeto.

Realmente, performance não é só para seres olímpicos, os atletas são a prova disso e mostraram que o mais difícil é desafiar a si mesmo. Foi lindo de ver a união de todos desde o início, um ajudando o outro, o trabalho em equipe foi fundamental para a conclusão disso tudo.

Torcemos para que os desafiados continuem com as rotinas individuais de treino e ultrapassem limites. O Desafio Speedo 40 chegou ao fim e deixará marcas em todos nós.

Parabéns a todos e que venham novos desafios e grandes travessias!

Etiqueta à mesa para competidores campeões

07
dez 2018

Estranho o título, não é? Calma, ninguém vai te pedir para tirar os cotovelos da mesa durante as refeições. Estamos falando de um outro assunto: os bons modos alimentares para quem treina ou faz esportes e tem fome de vitória nas competições!

Isso mesmo, a alimentação é decisiva para a conquista de um grande desempenho na performance e também na recuperação das atividades. Não à toa, existem profissionais especializados no assunto – já ouviu falar em nutrição esportiva?

Fique com a gente para um aperitivo a seguir sobre o assunto!

Entradas: a alimentação pré-competições
Muitos atletas relatam que sentem dificuldade para comer antes das provas. Seja por acontecerem muito cedo, na parte da manhã, pela ansiedade, por se sentirem “pesados” ou enjoados. Porém, se você faz parte dessa turma e não tem conseguido atingir as suas metas, pode estar aí o problema!

O que comer varia de caso a caso, de modalidade para modalidade. No entanto, é fundamental garantir o combustível para arrebentar durante a ação, dando preferência a alimentos que o corpo já conhece e cerca de 3 horas antes da competição, para termos o tempo de digestão.

Não estamos falando de um banquete, mas alimentos e bebidas leves da classe de carboidratos de baixo IG (índice glicêmico), que liberam energia para o corpo e o cérebro progressivamente, costumam estar presentes nestes cardápios. São as oleaginosas, como castanhas e amendoim, frutas com menor IG, como maçã e laranja, cereais, lentilhas, iogurtes e massas integrais. Enfim, fale com o seu nutricionista esportivo e não pule as entradas!

Prato principal: mas como assim, comer durante a prova? Pode isso, Arnaldo?
Em alguns casos, como por exemplo, os esportes aquáticos, comer e digerir efetivamente durante a atividade pode ser muito difícil. Até por isso, normalmente dá-se ênfase à alimentação antes e após o exercício.

Contudo, às vezes, como no caso da natação, o ambiente de competição pode ser extremamente quente e úmido, ou ter outras adversidades de clima que exigem mais uso de recursos para adaptação e aumentam a perda de líquidos do corpo, afetando a concentração e nível de habilidade do atleta.

Então, possivelmente você precise de um reforço. Mas não precisa se empolgar: comumente, a recomendação do nutricionista esportivo nessa hora será para que você “faça o fino” e fique nas bebidas esportivas e energéticos, fluídos adequados para as sessões de treino prolongados que fornecem eletrólitos e carboidratos para dar mais explosão e não fazer feio nas piscinas.

Sobremesa: oba!
A orientação geral da etiqueta pós-prova é de consumir um snack de recuperação imediatamente, dentro de até 30 minutos depois de terminar a competição. Só não se anime muito: dificilmente seu nutricionista esportivo irá recomendar doces com alto teor de gordura, né? Geralmente, este menu inclui carboidratos complexos, proteínas magras e bebidas repositoras, como barras de cereais, sanduíches de frios com salada, sucos e isotônicos. Mais tarde, deve acontecer a refeição substancial que você merece. Afinal, que garra hein?

E pra você? Quais maneiras à mesa fazem toda a diferença na hora de se tornar campeão? Conte para gente o segredo. E não deixe de procurar um nutricionista para entender melhor as práticas alimentares para competidores. Acredite, faz toda a diferença!

Fontes de apoio: TáFitness.net | GloboEsporte.com | ViivaAssessoria.com | AmaralNatacao.com.br