Crianças no esporte: uma habilidade para a vida!

04
out 2018

Unânime entre pais e responsáveis, a prática esportiva na infância faz parte da rotina de muitos pequenos que, por amor ou por hobby, se dedicam e descobrem novas habilidades para a vida.

Em comemoração ao Dia das Crianças, preparamos um especial para orientar pais e mães sobre os cuidados com as crianças no esporte. Dos benefícios para o desenvolvimento da garotada às cautelas para uma prática saudável, leia abaixo algumas dicas que reunimos para que os pequenos atletas levem o esporte numa boa!

Benefícios da atividade física
Toda atividade física colabora para o desenvolvimento, mas quando o assunto é esporte para crianças, o aprendizado tem uma força muito maior. Elas estão descobrindo um novo mundo agora, e toda atividade vem recheada de significados que serão levados para toda a vida.

Compartilhar o mesmo espaço e objetivos durante uma atividade faz com que as crianças aprendam lições importantes sobre espírito de equipe e sobre a socialização. O contato social com pequenos da mesma faixa etária colabora no amadurecimento psicológico, fazendo com que o seu filho ou filha consiga ser mais independente.

O desenvolvimento motor e físico, motivos pelos quais muitos pais buscam colocando os filhos no esporte, são pontos de destaque também. Com estrutura corpórea ainda em formação, trabalhar musculatura e equilíbrio, sempre de forma maneirada, colaboram para que os pequenos sejam mais autônomos em suas funções.

Preparar, apontar e…
Donas de uma energia surreal, as crianças encontram na atividade física uma alternativa para extravasar. Além disso, manter uma rotina de treinos pode fazer com que estes pequenos talentos se transformem em grandes atletas no futuro.

Uma boa parcela dos atletas que hoje competem em equipes de elite iniciou sua jornada na infância, desenvolvendo desde cedo habilidades cruciais para ser um grande nome no esporte. Acompanhe de perto e converse com os professores do seu miniatleta, afinal, é muito importante saber se os treinos estão fazendo bem e trazendo resultados a ele.

Alerta aos pequenos e aos pais que estão entusiasmados: vá devagar! Artigo divulgado na SMAD (Revista Eletrônica de Saúde Mental, Álcool e Drogas), desenvolvido pelos autores brasileiros Ms. Bruno de Oliveira Pinheiro, Dr. André Luiz Monezi e Dra. Denise De Micheli, mostra que adolescente que têm uma alta intensidade em treinos apresentam índices ruins de qualidade de vida, tendendo a consumir substâncias psicotrópica e outras drogas. Além do mais, é imprescindível equilibrar a rotina com os estudos e tempo de lazer. Fique atento!

Programa para toda família
Que tal fazer do esporte do seu pequeno uma atividade em família? Levar as crianças para participarem de competições ou reunir todos para um dia diferente é inspirador, além de ser algo divertido. Com todos na mesma sintonia, a sua casa será uma fonte de qualidade de vida!

Busque novas brincadeiras inspiradas no esporte, como aposta de corrida ou até buscar objetos no fundo da piscina, assim ninguém percebe que está se exercitando. É um ótimo programa para todos.

Gostou de nossas dicas? Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades Speedo.

Referências:
Brasil Escola
Caderno E+ Estadão
Ativo Saúde
Eu Atleta
Jornal da USP

Saiba como se prevenir e cuidar das dores musculares após o treino

24
set 2018

Começou a malhar há pouco tempo ou está determinado em aumentar a intensidade dos seus treinos? Então, muita calma nessa hora! Especialmente nesses momentos de grande empolgação acabamos exigindo muito do nosso corpo e é comum que as dores musculares depois dos treinos fiquem mais fortes.

Apesar de muitas pessoas acharem que elas são sinais de superação nos exercícios, esses traumas nos músculos não devem ser entendidos assim. Afinal, o que os especialistas recomendam é que a prática seja sempre gradativa para não gerar desconfortos tão intensos que, acredite, vão dificultar até mesmo simples movimentos do seu dia a dia.

Vamos entender o que provoca tais dores, ver algumas técnicas que ajudam (e muito!) a evitá-las no pós-treino e também a tratá-las quando elas aparecerem por aí? Continue lendo!

Saindo da zona de conforto
A dor, que surge geralmente na manhã seguinte ao treino, é resultado do esforço ao qual o músculo foi submetido. Isso significa que ele não estava acostumado a trabalhar e foi estimulado. Até aí, tudo bem, já que é considerada uma reação natural da região e também é conhecida como dor muscular de início tardio (DMIT). Mas conforme o corpo vai entrando no ritmo dos exercícios, essas dores devem diminuir. Se houver dor sempre que treinar, algo não está certo. Fique de olho!

Alongar é indispensável
A primeira dica fundamental para qualquer estágio é o alongamento. Além de gerar uma maior sensação de relaxamento, alongar contribui para reduzir as chances de estiramentos musculares e aumenta a flexibilidade. Segundo a personal trainer James Shapiro, “estudos mostram que fazer 10 minutos de cardio de baixa intensidade está no mesmo nível de fazer uma sessão de alongamento”. Então, uma caminhada ou pedalada estão valendo!

O alongamento antes de dormir também ajuda a circulação, fazendo com os nutrientes necessários para as repor as minifissuras provocadas nos músculos a cada treino cheguem mais facilmente, melhorando a reconstrução do tecido.

Devagar e sempre
A gente sabe que se desafiar é uma motivação extra para suar a camisa, mas não adianta ficar sofrendo toda vez que for para academia ou praticar seu esporte favorito. Conte com o auxílio de um profissional para te ajudar a definir a intensidade dos movimentos de forma progressiva. Assim, mesmo que as dores sejam inevitáveis quando mudamos a rotina de treinos, os níveis serão mais razoáveis e elas irão embora mais rápido. Ou seja, respeite seus limites, perceba seu corpo e conquiste resultados realmente satisfatórios.

Alimentos que dão aquela forcinha
Aposte em alimentos ricos em fibras, por exemplo, carne, ovo, leite e iogurte, pois eles contribuem para a reconstrução da massa muscular. Além disso, aumentar a ingestão de Ômega 3 com peixe, abacate, nozes e couve – ou até mesmo com suplementação – também ajuda devido à atuação anti-inflamatória. Gengibre e açafrão também entram na lista dos alimentos recomendados!

Libere as tensões
Conhecida como liberação miofascial, a técnica tem como objetivo aliviar as tensões da fáscia – membrana presente em todo o corpo que funciona como uma “capa” que fica entre a pele e os músculos – e relaxar a musculatura, prevenindo dores e lesões. Você mesmo pode realizar essa prática com o auxílio de um rolo de espuma. Se preferir, peça ao seu treinador ou a um fisioterapeuta.

O que fazer quando sentir dor pós-treino?
As dores musculares que aparecem depois de uma prática mais exigente requerem alguns cuidados. O descanso da região que está dolorida é muito importante para não força-la ainda mais. Mas não use isso como desculpa para a preguiça: faça a recuperação ativa, ou seja, dê continuidade aos exercícios com uma intensidade menor, sem trabalhar demais áreas afetadas, já que os movimentos melhoram o fluxo sanguíneo e produzem endorfina, o que melhora a sensação de bem-estar.

Massagens e compressas de gelo também ajudam a minimizar os desconfortos, mas, caso as dores persistam por mais de uma semana, será necessário procurar um médico para verificar se houve algum dano mais grave na musculatura.

Pronto! Agora você já sabe como aliviar e reduzir essas dores que costumam dar as caras depois dos treinos e está preparado para fazer todos os exercícios valerem cada gota de suor, sem jamais prejudicar a sua saúde e seus movimentos. Se você curtiu essas dicas, que tal compartilhar com seus colegas de atividades físicas?

Fontes:
Women’s Health
Mundo Boa Forma
Hora do Treino

Natação na terceira idade: uma opção saudável e divertida!

01
out 2017

Envelhecer faz parte do processo natural da vida. Ao chegar à terceira idade, é indicado que se tenha mais cuidados com o corpo. Algumas situações como osteoporose e artrose tornam-se mais comuns. Praticar exercícios físicos nesse estágio, portanto, fortalece o organismo.

A natação é um esporte recomendado para idosos, pois pode reduzir a perda de massa óssea e muscular. Outro motivo é a redução do impacto das estruturas ósseas e articulares o que diminui os desgastes nas cartilagens. Todos estes benefícios previnem que um idoso tenha dores no corpo ou fraturas. Logo, a natação é um esporte seguro para a terceira idade.

Outros benefícios observados em quem pratica natação é a melhora na musculatura do abdômen e do assoalho pélvico. Está comprovado que há diminuição de problemas como incontinência urinária em quem pratica natação, especialmente nas mulheres. Também combate o sedentarismo, auxiliando na prevenção da hipertensão e da obesidade.

Em alguns casos, ao chegar à terceira idade, o idoso pode se sentir sozinho, já que não tem mais a rotina tão agitada de outras épocas. A natação é um estímulo para a convivência em grupo, a socialização e, consequentemente, combate casos de depressão, uma das consequências da solidão.

Os benefícios que a natação traz para qualquer estágio da vida são potencializados durante a terceira idade. A natação é um excelente esporte para incentivar uma vida saudável para todos!

Natação: o melhor esporte para tratar problemas respiratórios

23
jul 2017

Você que tem bronquite, asma ou rinite alérgica sabia que a natação é recomendada pelos médicos para tratar os sintomas desses problemas respiratórios? Para os asmáticos, por exemplo, a natação diminui a intensidade das crises e, também, melhora a qualidade de vida do paciente.

O esforço respiratório feito durante a natação facilita a expectoração, já que os alvéolos pulmonares ficam fortalecidos. É por esse motivo que a natação regula a produção dos mucos do aparelho respiratório. Eles acabam não sendo produzidos em excesso, o que causa infecção das vias aéreas. E, obviamente, a água mantém as narinas úmidas, o que já é um benefício considerável para os pacientes.

Os movimentos necessários à natação estimulam melhorias na capacidade respiratória, aumentando a resistência do organismo. Expirar em meio líquido, respirar pela boca e a posição horizontal do corpo são decisivos para tornar a natação um esporte adequado para pacientes com dificuldades respiratórias.

A natação alonga toda a musculatura intercostal do corpo. É o abrir e o fechar das costelas que movimenta a caixa torácica – através do vai e vem dos braços – e trabalha a musculatura do abdômen, facilitando a respiração diafragmática. Os pulmões ficam cheios na inspiração e esvaziam na expiração. Todos esses movimentos são coordenados pela respiração. O ambiente aquático potencializa os movimentos.A resistência da água exige mais do corpo.

A natação beneficia o corpo humano à medida que aumenta o trabalho dos pulmões, expandindo a capacidade respiratória. Quem faz natação para atenuar os problemas respiratórios, acaba encontrando mais do que um alívio para esses males. A natação serve também para melhorar o condicionamento físico dos pacientes e termina por tornar-se o esporte favorito deles.

Alimentação pré-treino: Musculação

15
fev 2017

cover_blog

A musculação é uma forte aliada para aqueles que buscam uma vida mais saudável, um aumento de força física, melhoria na postura ou até mesmo um auxílio para tratar doenças musculares e metabólicas. Esse treinamento de força ajuda e exige muito do atleta, portanto a alimentação correta faz toda a diferença. Hoje falaremos um pouco sobre os alimentos pré-treino e a importância deles para um treino mais benéfico e eficiente.

Consuma carboidratos…

Principal fonte energética, os carboidratos possuem um papel importantíssimo no pré-treino. O consumo desses alimentos possibilita ao atleta um ganho de disposição e aumento em seu desempenho físico devido ao glicogênio que abastece e fortifica os músculos. Você pode encontrar essa “forcinha” em diversos alimentos e ir com força total para o seu treino.
Abaixo listamos alguns alimentos que possuem esse aspecto energético:

– Arroz integral
– Arroz branco
– Arroz parabolizado
– Batata doce
– Macarrão integral
– Aveia
– Frutas

Mas não se esqueça das proteínas.

Agora sabemos que o carboidrato é imprescindível para dar aquele up em nosso treino, mas e a proteína? Como ela pode me ajudar? Quando consumido regularmente esse componente é responsável pela construção de músculos, aumentando o metabolismo e queimando a gordura mais rapidamente. Além disso, ajuda o seu corpo a evitar lesões e a melhorar a recuperação das células musculares. Conheça alguns alimentos que podem auxiliar na sua dieta:

– Peito de frango
– Clara de ovos
– Peixe
– Peito de peru
– Patinho moído

Agora é só preparar o seu prato, alimentar-se 30 minutos antes da atividade, partir para a musculação e colher os frutos de uma boa dieta com o treino adequado.