Iniciando no Triathlon

16
jan 2017

cover-blog_5558.1.11

Se você está pensando em começar no Triathlon, seja por lazer ou competição, esse texto é para você. O esporte vem crescendo e ganhando notoriedade cada vez mais entre corredores, ciclistas, nadadores e até quem não pratica nenhum esporte. Muitos atletas buscam se aventurar nessa modalidade desafiadora, porém, todo cuidado é bem-vindo na hora de se testar em um novo esporte. Chegou a hora de começar.

Conheça o esporte!

O Thriatlon surgiu por volta de 1970 e combina a prática de 3 modalidades: ciclismo, corrida e natação. Ganhou espaço olímpico em 2000, em Sidney, e desde então não parou de crescer. A principal e mais famosa competição é o Ironman, onde homens e mulheres colocam a prova todo seu esforço, treinamento duro e condicionamento físico afim de testar seus limites a cada prova.

Preparar…

Todo esporte requer alguns cuidados antes de sua prática, e o Thriatlon não poderia ser diferente. Consulte um médico e faça alguns exames como: eletrocardiograma e exames de sangue gerais são indicados para quem quer iniciar no esporte.

Apontar…

Trace um objetivo, pense se pretende treinar por lazer, melhorar o seu condicionamento físico ou se planeja competir em alto nível. Depois disso, acione um profissional que te ajudará a planejar o treino ideal de acordo com suas metas.

Treinar!

Chegou a hora de trabalhar! Sempre acompanhado de um profissional, comece o treino em ritmo mais leve e aumente a dose e a intensidade progressivamente. A evolução de maneira consciente e supervisionada ajuda a evitar lesões e desgastes excessivos para o seu corpo. O descanso e a boa alimentação são fortes aliados para uma evolução mais rápida e efetiva, siga uma dieta balanceada e dê intervalos entre um treino e outro.

Tenha paciência! Treine, alimente-se bem, descanse e prepare-se para repetir isso muitas e muitas vezes. O triatleta não surge da noite para o dia, se você pretende entrar nesse mundo saiba que todo esforço será recompensado.

Correndo das doenças

15
jan 2016

Correr é um santo remédio. E coloca santo nisso! Problemas físicos, emocionais, mentais e vários outros males são combatidos e prevenidos através da simples prática da corrida de rua. Dê só uma olhada na lista de coisas que passam longe dos corredores:

Depressão, distúrbios de ansiedade e afins

Você já deve ter ouvido ou lido isso em algum lugar: Correr libera endorfina, o neurotransmissor responsável pela disposição, bom-humor, alívio de dores e otimização do sistema imunológico. Ou seja, a endorfina é, basicamente, uma das maiores aliadas de quem está sofrendo nas mãos de uma doença psicológica.

Os relatos de pessoas que se sentem muito mais dispostas e bem humoradas, mesmo após correrem grandes distâncias, são muitos. O alívio pode não ser imediato, mas é duradouro e no combate destes males, constância é algo indispensável.

Osteoporose

E ainda tem gente que acredita que a corrida faz mais mal do que bem pra quem sofre de osteoporose. Besteira!

Para quem não sabe, a osteoporose é um distúrbio caracterizado pela diminuição da densidade óssea. Numa conta simples, menos cálcio resulta numa densidade menor. Isso faz com que os ossos fiquem muito mais suscetíveis a lesões e fraturas.

No entanto, quem corre passa por dois processos que ajudam no fortalecimento ósseo: o primeiro é a ativação dos músculos e ossos, o que ajuda na consolidação do cálcio pelo esqueleto. O outro é o aumento da produção da vitamina D, substância que ajuda a absorção do cálcio. Como? Simples: por ser um esporte muito praticado a céu aberto, os corredores são mais suscetíveis ao Sol, algo importante para a produção dessa vitamina.

Asma

Realizada sob o olhar atento de um médico e de um preparador físico, a corrida é uma grande arma contra a asma e outras complicações do tipo. Ela estimula o desenvolvimento aeróbico, além de fortalecer os órgãos que compõem o sistema respiratório.

Além disso, a corrida e a prática de outras atividades físicas mantêm o peso sobre controle, o que é algo que influência muito o aparecimento das enfermidades citadas acima.

Então, bora correr e ser mais saudável?

Os primeiros passos de um corredor

01
jan 2016

01_01_16_Blog_Corrida

Na hora da virada, vale prometer de tudo: de parar de fumar até comer de forma mais saudável. Mas, a vida não é feita só de promessas: quem quiser ver mudança precisa correr atrás. Falando em mudanças e corrida, você não tinha prometido que iria começar a correr? Pois bem, separamos algumas dicas para corredores iniciantes. Leia todas e trate de colocar o pé na rua, já!

Ter um plano de treino ajuda!

Uma das coisas que mais fazem as pessoas desistirem de correr (e de se exercitarem de modo geral) é a falta de planejamento. Esse problema tende a se manifestar através daquela sensação de “não estar evoluindo”. Oras, se você não sabe para onde vai, como pode saber se você evoluiu ou não?

Aproveite o começo do ano para arrumar um treinador e traçar algumas metas. Esse período mais pacato é perfeito para isso. Assim, você já começa a correr com um objetivo em vista.

Caso o orçamento não esteja a seu favor, a dica é não chutar alto. Determine objetivos realistas, se necessário, até um pouco abaixo do que você conseguiria desempenhar. Sua prioridade nesse começo de carreira de corredor é adquirir o hábito da corrida. E, se existe algo capaz de animar qualquer um, é ter uma meta atingida, por menor que ela seja!

Relaxa e corre!

Relaxe! Solte as suas pernas e os seus braços! Não é por que você está começando a correr que precisa forçar cada músculo do seu corpo. Para falar a verdade, quanto mais relaxados estiverem os seus membros, melhor! Assim, você evita as dores após o treino e as câimbras durante o mesmo!

A única coisa com a qual você precisa se preocupar é a postura da sua coluna. Lembre-se de mantê-la ereta! Você não precisa ficar se cobrando e nem se policiando demais, mas, sempre que se lembrar, coloque ela no lugar. Fazendo isso, aos poucos você vai adquirindo o hábito de correr com ela na posição correta.

Respira, inspira!

Essa é a dica de ouro! A respiração correta é um dos aspectos mais importantes de qualquer esporte. Se quiser ser um bom corredor, você terá que treinar a sua respiração. Acostume-se a inspirar pelo nariz e expirar pela boca. Dessa forma, você puxa mais oxigênio para dentro do seu organismo e exala mais dióxido de carbono para fora dele.

São Silvestre: Dicas para fazer bonito na maior corrida do Brasil!

11
dez 2015

11.12_Blog-Corrida

Chega o fim de ano e começam os preparativos para a São Silvestre. É gente correndo pra lá e para cá nos parques e ruas do Brasil, se esforçando para garantir que as suas participações na prova sejam as melhores possíveis. Também pudera: a São Silvestre não é só um marco de final de ano. Ela é também, um marco de superação na vida de muitos corredores.

Se o seu sonho é correr bem a São Silvestre, então, você veio ao blog certo. Separamos algumas dicas que vão ajudá-lo a fazer bonito na prova. Confira:

Treine as suas subidas e descidas

Sai ano, entra ano e muita gente ainda cai na mesma armadilha: Achar que, por ser praticamente uma celebração de fim de ano, a São Silvestre é uma prova tranquila. Há, há.

A corrida de São Silvestre é, facilmente, uma das provas mais exigentes e desafiadoras que acontecem no território brasileiro. Uma das razões disso, é a presença de várias subidas e descidas íngremes pelo decorrer do percurso. É só olhar para a parte que passa pela Av. Brigadeiro Luís Antônio, uma das mais famosas de São Paulo. São 2,5km de pura subida.

Antes de pensar em correr a São Silvestre, é melhor fortalecer a musculatura das pernas, para aguentar o tranco e treinar a sua corrida em subidas e descidas. Sim: descidas também. Vários corredores por aí se esquecem de controlar o ritmo durante estas etapas da prova e acabam pagando o pato nas fases seguintes. Portanto, saiba subir e descer sem se acabar.

Encontre o seu ritmo

Dois fatores vão forçá-lo a adaptar o seu ritmo de prova: o enorme número de competidores e o número de curvas, subidas, descidas e os trechos de asfalto irregular (sabe como é, São Paulo…) espalhados pelo percurso.

Como as chances de você não ser um atleta da elite são altas, muito provavelmente, você irá iniciar a prova no meio do povão. A dica é desacelerar, começar bem tranquilo, sem dar a mínima para os tempos de prova. Assim, você conserva energia e pode se concentrar em atingir o maior objetivo da São Silvestre: completar a corrida.

Aumente a sua resistência

Some o percurso irregular à mudança constante de ritmo de prova e ao calor de Dezembro e você terá a razão pela qual os treinos de resistência são tão importantes para a São Silvestre.

Uma boa ideia é ficar de olho na sua consistência: seu fôlego deve durar algo em torno de 10 a 12km, sem grande desgastes. Aproveite também, para se preparar para os últimos 3km da prova. É nessa última etapa que você deve abrir todas as suas válvulas e correr a plenos vapores.

Quenianos: os mestres da corrida.

20
nov 2015

unnamed

É incontestável: quando falamos de corridas e maratonas, os quenianos estão muito a nossa frente de qualquer outro povo. Você deve estar aí, se perguntando o que os torna corredores tão capazes. Bom, não há um consenso.

Alguns especialistas defendem a herança genética. Como muitos quenianos nascem e crescem em lugares de altitude muito elevada seus corpos rapidamente se adaptam ao ar rarefeito, adquirindo capacidades pulmonares que vão muito além do corredor comum. Pulmões mais fortes e eficientes aumentam o número de hemácias no sangue, as células vermelhas responsáveis por transportar o oxigênio pelo organismo. Por sua vez, esse transporte eficaz aumenta a economia de energia do corpo, o que permite que eles façam movimentos mais complexos e eficientes sem gastar tanto o seu fôlego.

Outra razão que pode justificar a capacidade invejável que os quenianos têm de correr, é cultural. Sim, cultural! Os quenianos são um povo guerreiro. Eles treinam duro e bota duro nisso. Eles aprendem cedo a se manter ativos, a favorecer uma alimentação simples, saudável e rica em carboidratos e com pouquíssima gordura. Eles treinam em altitudes acima de 2.000 metros, em terrenos de terra batida, o que diminui o risco de lesão, mas exige o desprendimento de forças maiores a cada passada. Subidas? Descidas? Terrenos acidentados? Nada disso é motivo para deixar de treinar. A pobreza do seu país também não os impede em nada. Pelo contrário, eles enxergaram na corrida uma oportunidade de oferecer melhores condições de vida para as suas famílias. E agarraram essa chance com unhas e dentes, algo que só os grandes campeões são dignos de fazer.

Olha só um exemplo: a tetracampeã da Maratona de Boston, Catherine Ndereba, revelou certa vez que corria 120k por semana. Isso parece ser muito pouco perto dos 180k médios corridos por atletas de outros cantos do planeta. Parece. Ela divide o treino de forma a correr 3 vezes todo santo dia, sempre em ritmo de prova, o que aumenta muito a sua capacidade de se manter veloz por longos períodos de tempo.

Por essas e outras os quenianos não são apenas exemplos de corredores. Eles são, também, exemplos de vida.