Setembro Amarelo: prática esportiva diminui o índice de suicídio entre jovens

20
set 2018

Os índices de suicídios estão, a cada ano, chegando a números alarmantes. E o que é mais desesperador nesta estatística é a presença significativa de adolescentes. Ansiedade, depressão e diversas outras questões que fazem com que pessoas de 10 a 19 anos se sintam deslocados em seu meio são os principais motivos que levam a essa triste interrupção da vida. E neste cenário desolador, cientistas trazem um alerta: a prática esportiva diminui o índice de suicídio entre jovens.

A importância do Setembro Amarelo
Setembro é marcado pela cor amarela, que ativa o sinal de alerta e é a marca da campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Desde 2015, monumentos e o noticiário levam este delicado assunto para discussão, além de, durante todo o mês, serem promovidas palestras, divulgação de informações e orientação para toda a sociedade.

Segundo dados, de 2000 a 2015, os suicídios entre adolescentes de 10 a 15 anos aumentaram 65%; e na faixa dos 15 a 19 anos, 45%. Estes números representam cerca de 40% da média da população e significa que nossos jovens precisam, urgentemente, de ajuda.

Bullying, automutilação e transtornos alimentares são os assuntos mais recorrentes entre jovens. Estes podem ser os primeiros sintomas de algo que, se não acompanhado por um profissional da saúde, pode ter uma consequência muito grave. Perceber hábitos e sinais diferentes em adolescente, além de sempre ter boas conversas, ajuda a salvar vidas.

A prática esportiva diminui o índice de suicídio entre jovens
Apoio da equipe e o sucesso em uma área competitiva estão entre os fatores levantados no estudo do Centro para o Controle e Prevenção de Doença (CDC), dos EUA, como possíveis responsáveis pelo menor risco de suicídio entre jovens.

Liderada pelo cientista comportamental David R. Brown, a pesquisa aponta que a prática de uma atividade física diminui 2,5 vezes a probabilidade de homens terem um comportamento suicida, e em mulheres, o número é 1,67 menor. Não foi encontrado nenhuma justificativa conclusiva no estudo, mas entre as principais hipóteses estão:

  • diminuição do estresse e aumento do bem-estar por meio da liberação de endorfina;
  • apoio da equipe nos treinos;
  • enfrentamento de questões competitivas com menos severidade;
  • socialização;
  • comunhão entre lazer e cuidado com a saúde.

Os pesquisadores alertam que é preciso uma relação saudável com o esporte. Pessoas que transformam esta prática em mera disputa ou apenas um culto ao corpo perfeito, fazendo atividades intensa por seis ou sete dias semanais, revertem a estatística e têm o dobro do risco de um comportamento suicida.

Busque o CVV
O Centro de Valorização da Vida existe desde 1962 e durante este período auxiliou pessoas que buscaram ajuda pelo telefone ou em atendimentos nas sedes espelhadas em todo o Brasil. Em 1973, a instituição foi reconhecida como Utilidade Pública Federal e hoje, junto ao Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde, organiza ações abertas à comunidade para promoção da vida.

Desabafar e procurar ajuda colabora para um melhor entendimento de situações que parecem não ter solução. Em 2017, o CVV recebeu cerca de 2 milhões de ligações e, atendendo gratuitamente nos 23 estados brasileiros, colaborou para que histórias não acabassem tragicamente.

Em qualquer lugar do país, ligue 188 para atendimento anônimo e, caso prefiro, no site da CVV também é possível conversar pelo chat. Este contato é muito importante, pois segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% dos casos poderiam ser prevenidos.

Você nunca está sozinho. Se conhece alguém que precisa de um auxílio ou acredita que implementar atividades físicas fará bem à sua saúde, comece aos poucos e/ou converse com alguém sobre esta possibilidade. O primeiro passo é difícil, mas você encontrará suporte sempre.

Fontes:
Ligação para prevenção ao suicídio
Jovens praticantes de esporte: menor propensão ao suicídio
Exercícios podem inibir ideias suicidas
Os enigmas do suicídio
Centro de Valorização da Vida

Confraternização, aprendizados e muitos exercícios no 1º Treino do Desafio Speedo 40

08
ago 2018

Se a galera esperava moleza no primeiro treino dos desafiados, erraram bonito! O encontro deste último sábado, 04/08, teve momentos de descontração, sim, mas as aulas teóricas e práticas colocaram todos para focar em seus resultados. Ou seja, foi uma tarde que acrescentou muito para os atletas, que saíram da Ecofit Aclimação com uma bagagem ainda maior. E não estamos falando de produtos Speedo, hein?! Quer saber tudo que rolou por lá? Continue lendo o texto e fique ligado.

A CHEGADA DOS DESAFIADOS NA ECOFIT

Ansiosos, muitos chegaram cedo para pegar as novas camisetas do projeto e garantirem um bom lugar para a palestra que estava por vir.

Logo de cara, a infraestrutura da Ecofit impressionou, tanto que deu até vontade de praticar as demais modalidades oferecidas pela academia, mas o foco era nosso Desafio. Os colaboradores da unidade da Aclimação fizeram bonito ao recepcionar e direcionar todos até a primeira sala, onde os escolhidos para treinar com a gente começaram a se enturmar para valer, com muitas fotos, risadas, troca de dicas e muito mais.

PALESTRA COM ALEXANDER REHDER – FISIOTERAPEUTA DA SELEÇÃO

Com muita humildade, Alexander Rehder, fisioterapeuta da seleção brasileira e nadador de elite esteve com o pessoal para falar sobre prevenção de lesões na natação – muito importante para que todos nadem em plena forma – sobre como evitá-las, que tipo de músculos exercitar para cada movimento sob as águas, seja em piscinas ou mares. Os nadadores ouviram atentos e, também, participaram fazendo perguntas. Alexander aceitou nosso convite para ser um dos anjos que vai orientar os nadadores durante todo o projeto e por isso ficamos muito felizes.

HORA DE CAIR NA ÁGUA

Devidamente trajados com as sungas e maiôs Speedo, os participantes foram direto da palestra para a piscina aquecida da Ecofit, que é rodeada por um ambiente que nos encheu de motivação. Com lugar para nossa equipe registrar tudo e para os anjos ficarem de olho nas primeiras braçadas dos atletas, todos estavam bem à vontade.
Mas a moleza não durou muito, não! Os exercícios começaram com técnicas de respiração, somente braços, depois pernas e o conjunto todo para avaliar o que cada desafiado ainda precisa melhorar para alcançar seus objetivos.
No final rolou ainda um exercício extra para os desafiados que não cumpriram suas metas! Aqui não é brincadeira, não, minha gente!

CORRENTEZA DO BEM E PASSOS MÁGICOS

Como parte do Desafio Speedo 40, os escolhidos levaram materiais escolares para serem doados à Instituição Passos Mágicos e foi o que aconteceu: temos muito orgulho de comunicar que superamos as expectativas e enchemos várias sacolas com mimos para as crianças que poderão estudar com dignidade e seguir aprendendo cada dia mais. Nosso muito obrigado aos nadadores que entraram nessa corrente com a gente, à Ecofit que ajudou na organização, no recolhimento das doações e em todos os detalhes essenciais para que este dia pudesse ter sido o sucesso que foi.

O FRIO ESTAVA SÓ DO LADO DE FORA

As temperaturas baixas não desanimaram os presentes. Foi nítido o empenho deles e o clima de competição saudável entre cada participante. Mesmo depois que os exercícios terminaram, pudemos acompanhar a galera conversando da sala de concentração até do lado de fora, no estacionamento da Ecofit.

Enfim, foi muito bacana de ver! O próximo treino deve acontecer em breve e nas redes sociais vocês podem acompanhar o desafio de perto. Até a próxima!

Equipe Speedo MultiSport

confraternizacao-aprendizados-muitos-exercicios-1o-treino

1o-treino-001

1o-treino-002

1o-treino-003

1o-treino-004

1o-treino-005

1o-treino-006

1o-treino-007

1o-treino-008

1o-treino-009

1o-treino-010

1o-treino-011

1o-treino-012

1o-treino-013

1o-treino-014

1o-treino-015

Descubra o segredo dos nadadores mais velozes!

24
jul 2018

Os braços longos podem até ajudar, mas não são só eles que garantem as sonhadas medalhas. Para descobrir o fator-chave do sucesso desses atletas, a St. Mary´s University, faculdade renomada dos Estados Unidos, decidiu fazer alguns testes em nadadores campeões olímpicos.

O tamanho e a envergadura dos braços contam, sim, mas as provas de velocidade exigem precisão total do corpo. Força, explosão, poder de reagir, técnica e capacidade respiratória são também fundamentais.

Na natação, os atletas trabalham com 50 músculos, mas os membros superiores são responsáveis por 65% da energia usada no esporte. Já o fôlego é essencial para suportar os exercícios de alta intensidade, além da coordenação para respirar em milésimos de segundo fora d´água.

Os competidores precisam também ter rápido poder de reação e impulsão na hora da largada e, ao mesmo tempo, controlar a ansiedade dos segundos antes do sinal de início das provas. Uma boa entrada na piscina pode garantir centésimos de vantagem, fazendo uma grande diferença no resultado final.

Ou seja, o que os professores da universidade constataram depois de testes de força, velocidade e respiração fora da água, foi que braços e pernas bem desenvolvidos permitem ao atleta braçadas longas e agilidade, o que já é um diferencial, mas o treino no esporte faz com que as demais habilidades sejam desenvolvidas e que competidores com estatura e membros menores, venham a se tornar campeões.

Por isso, mais uma vez, vale reforçar que com dedicação e persistência todos podem conquistar suas vitórias. Então, vamos com tudo nos próximos treinos para evoluir cada vez mais na natação? Nós apostamos que, assim, você conseguirá superar todos os seus limites!

Fonte: globo.com

Desafio Speedo 40: cerimônia com os participantes dá a largada!

08
jun 2018

Na última quarta-feira, demos início, oficialmente, ao Desafio Speedo 40 com uma cerimônia de abertura na Speedo Store, na unidade Augusta. Neste importante marco, contamos com a presença dos 40 atletas selecionados e os parceiros que colocarão a mão na massa (ou na água?) para transformar em realidade esse grande projeto!
A festa começou com a entrega dos contratos aos desafiados, que logo começaram a se enturmar, trocar experiências enquanto faziam um tour pela loja e a criar um clima de companheirismo e superação coletiva.
Destaque entre os convidados, a presença do ex-jogador Marcelo Negrão foi um sucesso à parte. Todos queriam uma foto com o eterno ícone do vôlei brasileiro que será sempre uma fonte de inspiração para atletas e todos aqueles que desejam vencer seus limites.
Quando todos já estavam mais descontraídos e mergulhados no clima do Desafio Speedo 40, os atletas participantes foram encaminhados para uma sala especial, onde cada um recebeu um superkit e quitutes saudáveis da marca No Natural: assim todos estarão nutridos e bem equipados para os próximos passos!
Em seguida, foi apresentado o cronograma dos treinos, que têm como objetivo principal preparar os desafiados a participarem da maratona Fuga das Ilhas, em dezembro. Os exercícios serão puxados, sim, e haverá cobranças, mas temos certeza que os 40 atletas estão cheios de garra e com uma ótima energia para chegar até o fim!
Para que tudo ficasse bem explicado, sem que nenhum nadador saísse de lá com dúvidas sobre os procedimentos, os organizadores apresentaram cada participante e seus anjos – como temos chamado seus respectivos treinadores. Além do fisioterapeuta, Alex Rehder que irá acompanhar toda a trajetória dos selecionados.
Fomos honrados ainda com a presença do Team Speedo e da Speedo Elite Team, que estavam quase completos. Entre os convidados ilustres, também tivemos os triatletas José Belarmino, Rodrigo Lobo e Vanessa Gianinni. As gêmeas do nado sincronizado Bia e Branca também prestigiaram nosso evento.
Com tantas pessoas inspiradoras reunidas, nosso vídeo motivacional foi o toque especial para ver nossos atletas com os olhos brilhando. Para fechar a festa e carimbar a presença dos participantes, todos passaram por uma sessão de fotos e gravaram um vídeo se apresentando e contando sobre suas expectativas do que vem por aí.
Foi uma noite de festa, celebrando o começo de novos ares, novas águas e novas conquistas.
Preparado para acompanhar a gente nesse novo desafio?
Confira as fotos dos principais momentos!

_ND_3384

_ND_3404

_ND_3422

_ND_3424

_ND_3431

_ND_3441

_ND_3445

_ND_3452

_ND_3454

_ND_3457

_ND_3459

_ND_3463

_ND_3472

_ND_3481

_ND_3487

_ND_3492

_ND_3501

_ND_3512

_ND_3514

_ND_3517

_ND_3518

_ND_3523

_ND_3532

_ND_3537

_ND_3542

_ND_3545

_ND_3546

_ND_3551

_ND_3555

_ND_3562

_ND_3571

_ND_3581

_ND_3602

Maratonas Aquáticas

24
ago 2016

Apesar de se tornarem uma modalidade olímpica – da era moderna – apenas em 2008, nas Olimpíadas de Pequim, as maratonas aquáticas nasceram muito antes da natação como conhecemos hoje.

Ainda na Grécia Antiga, os Jogos Olímpicos contavam com uma prova de natação em águas abertas, muito similar às maratonas de hoje em dia, sempre disputada por longas distâncias em lagos, em rios, ou mesmo no mar, como foi o caso das Olimpíadas do Rio.

Mas a modalidade ganhou verdadeiro destaque quando Mattew Webb atravessou o Canal da Mancha em 1875. O militar inglês cruzou a faixa de água que divide a Grã-Bretanha da França sem qualquer tipo de equipamento, ou seja, percorreu 34 km no braço. E haja braço pra isso!

Atualmente, além de uma equipe de salva-vidas, de fiscais, de juízes e de cronometristas acompanhando a prova, os participantes só entram na água se a temperatura dela estiver entre 16 e 30° C. Pode parecer besteira, mas essa é uma das partes mais importantes no quesito segurança, diminuindo os riscos de hipotermia e de fadiga dos atletas.

Este ano, pela primeira vez na história olímpica, o Brasil subiu ao pódio da natação feminina exatamente na prova de maratona aquática, na qual a atleta da Speedo Poliana Okimoto percorreu com garra os 10 km, viu a francesa Aurelie Muller ser desclassificada e ganhou sua muito merecida medalha de bronze.

#VaiFundoSpeedo