Como recuperar os cabelos e a pele danificados pela natação

20
ago 2014

O sal do mar e o cloro das piscinas danificam o cabelo e a pele e nem mesmo uma touca – para quem pratica natação – consegue proteger os fios completamente. Para alguns especialistas, como Brigitte Revollo, terapeuta capilar, é impossível evitar os danos e ter cabelos bonitos se você pratica natação mais que duas vezes na semana. Mas nem tudo está perdido! Um trabalho de recuperação é importante e pode ajudar a recuperar parte do brilho e hidratação e para você continuar a prática desta atividade física.

Os danos do cloro

A terapeuta capilar do Crystal Hair, Lela Athanasio, explica que o cloro deixa o cabelo áspero, tira a proteção hidratante da superfície dos fios e, dependendo do tempo de exposição ao produto, ele pode reagir com a pigmentação e proteínas do cabelo criando um aspecto esverdeado, isso acontece principalmente com pessoas que tem cabelos mais claros. Nos cabelos tingidos, além do esverdeado o claro pode ainda arrebentar os fios.

Resolvendo o problema

Quando seu cabelo ficar exposto ao cloro, principalmente em piscinas, assegure-se de enxaguá-lo com água corrente assim que sair da piscina, retirar parte do que se acumulou nos fios e evitar que os danos sejam maiores”, alerta Lela.

Segundo ela, esse primeiro passo é imprescindível para iniciar a recuperação, mas só isso não é suficiente. Assim que chegar em casa após a aula de natação ou dia de piscina, lave o cabelo com shampoo reparador e aplique condicionador com vitaminas que restauram os fios e silicone. “Esses dois passos vão reparar os danos. Para sentir o cabelo novamente hidratado e sedoso, use um tratamento intensivo ou ampola”, explica.

Além de recuperar os fios logo após a exposição ao cloro, fazer o tratamento de maneira contínua também é essencial. Para o terapeuta capilar Ricardo Moçali, do Werner Coiffeur, é preciso usar shampoo anti-resíduos regularmente, pelo menos uma vez por semana, para limpar o cloro e o sal. Outra dica importante é fazer a hidratação dos fios com frequência. A maioria dos profissionais indica que ela seja feita de 15 em 15 dias ou, caso os cabelos estejam muito danificados, toda semana.

Precauções

A especialista Renata Marques, da Clínica Dicorp, alerta que, além dos produtos para recuperar os cabelos e hidratar a pele, a alimentação também pode fazer a diferença. “O mais importante para manter pele e cabelos bonitos é ter uma alimentação equilibrada, contendo frutas, legumes, verduras e proteínas. Assim, serão garantidos os nutrientes necessários para a formação dos fios e da pele”, garante.

Cabelos descoloridos

Ricardo Moçali também ensina um truque para se livrar dos indesejáveis esverdeados nos cabelos descoloridos.  A dica é aplicar vinagre de maçã para recuperar a cor. “Outra dica é usar os tratamentos noturnos, é só aplicar o creme no cabelo úmido e deixá-lo agir durante a noite toda. Ele recupera parte dos lipídios que foram perdidos na manhã de sol”, ensina.

Para cabelos coloridos ou descoloridos também é essencial procurar produtos que protegem a cor e a pigmentação do fio.

Fonte: Revista Shape

O Eu Atleta testou: Bermuda de compressão

15
ago 2014

“Modelo da Speedo promete auxiliar no alívio das dores e da fadiga muscular, a evitar o atrito entre as pernas e a melhorar a circulação sanguínea no local”.

A Speedo, uma das marcas licenciadas pela Trifil, apresentou no mercado a Bermuda de Compressão para esportistas. Com o objetivo de aumentar a performance dos atletas competitivos, o produto foi desenvolvido para ter um ajuste perfeito ao corpo, permitindo assim uma maior flexibilidade dos movimentos. O modelo também promete auxiliar no alívio das dores e da fadiga muscular, deve evitar o atrito entre as pernas e melhorar a circulação sanguínea. Além disso, a bermuda de compressão possui proteção contra raios UV e é fabricada com tecidos de alta tecnologia que permitem que o calor seja distribuído de forma uniforme, proporcionando um maior conforto térmico.

Fonte: Eu Atleta

Gustavo Borges conta como concilia a rotina de empresário com os treinos

11
ago 2014

Mudar hábitos não é nada fácil e isso a turma do sedentarismo sabe bem. Mas quando o sentido é inverso a troca de rotina também não é simples. Acostumado a uma vida de treinamentos intensos, com horários cronometrados tanto para as atividades físicas, quanto para a alimentação e mesmo para o descanso, Gustavo Borges teve que se adequar a nova rotina.

- O foco que eu tinha no treinamento, na atividade física, mudou para a atividade do trabalho, para a atividade profissional. Tem dias que eu vou para o escritório, mas também tem muitas viagens e dentro desse cenário eu tento colocar a parte esportiva - contou Gustavo Borges.

A forma que o ex-nadador encontrou de não abandonar os exercícios é incluí-los na agenda como um compromisso de trabalho.

- A atividade física acaba entrando (na rotina) como uma das minhas reuniões. Porque se deixar, no dia a dia é trânsito, viagem, e aí você acaba não fazendo nada – confessa Gustavo.

 

Apesar de contar com a ajuda do seu metabolismo, que segundo Gustavo é acelerado, ele não descuida da forma. A alimentação controlada ficou no passado, mas o equilíbrio segue orientando suas escolhas nas refeições.

- Acho que o importante não é você se isentar das coisas que você gosta e dos bons prazeres da vida, que é comer bem, tomar uma boa bebida. O problema é o desequilíbrio – diz o ex-nadador.

 

Fonte: Eu Atleta

Brasil fazendo história nas águas abertas

11
ago 2014

A natação brasileira em águas abertas teve mais um dia glorioso para sua história. Na sexta etapa da Copa do Mundo de 10 km da Fina, disputada em Lac-Mégantic, no Canadá, a bandeira do Brasil tremulou mais alto no pódio. Na prova feminina, Ana Marcela Cunha venceu mais uma vez e praticamente garantiu o título.

Pela quarta vez neste ano, Ana Marcela ganhou uma etapa da Copa do Mundo e disparou ainda mais na liderança do circuito. Tem 114 pontos, 58 a mais do que a vice-líder, Poliana Okimoto. Matematicamente já assegurou seu tricampeonato na competição, na qual venceu em 2010 e 2012, mas só será declarada campeã na última etapa.

Pelo regulamento da Copa do Mundo da Fina, o vencedor geral da temporada precisa pelo menos largar na etapa final, que acontece em Hong Kong no dia 18 de outubro. Conhecemos bem Ana Marcela e sabemos que ela não vai só querer largar. Vai tentar ganhar mais uma vez!


Fonte:Swim Channel 

Subidas e descidas: saiba qual é a melhor forma de fazer o seu treino

06
ago 2014

Como diria o físico Isaac Newton, tudo que sobe, desce. E na corrida também é assim. Invariavelmente se você subir uma ladeira vai ter que descer. Mas qual seria a melhor forma?

Correr na subida e descida são coisas bem diferentes. A biomecânica e estratégias também são. Para subir, você tem que tomar cuidado para não cansar muito. Enquanto na descida deve ter cuidado para não se lesionar. Precisa aumentar a frequência de passada, elevar mais o joelho e movimentar o braço. Você tem que evitar de travar o movimento e nunca pisar com a perna toda esticada. Utilize o calcanhar primeiro e depois o meio do pé para fazer da ponta uma mola. Ao contrário da subida, quando faz uma passada mais curta, na descida você alonga mais – afirmou Fernando

É importante ter sempre em mente que mesmo tendo feito muito esforço para subir, o trabalho não termina. Na descida, cansado ou não, todo corredor deve prestar atenção e não relaxar. É nessa hora que as lesões acontecem. Um bom corredor sabe avaliar se o grau de esforço torna-se necessário. Até mesmo um atleta profissional reduz a velocidade e anda na ladeira em vez de correr. Tudo, é claro, para se poupar.

 É importante você fazer treinos específicos. Tanto de corrida quanto de musculação na academia. Abdômen fortalecido, região paravertebral, glúteos e panturrilha. Agora, na descida é o quadríceps. Não se deve treinar subida ou descida quem tem histórico de hérnia de disco, problema na coluna ou cervical – encerrou o professor.

Fonte: Eu Atleta