A importância do Mundial de Kazan

30
jul 2015

 30_07_Blog_Mundial_kazan

Em tempos de Mundial de Kazan, não há um único nadador que não esteja com os nervos à flor da pele. A razão dessa ansiedade é simples: O Mundial de Esportes Aquáticos de Kazan 2015 é a principal porta de entrada para as Olímpiadas Rio 2016.

Para os nadadores brasileiros então, em especial a turma do Speedo Elite Team, Kazan tem um peso especial. Um dos objetivos da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) é classificar todas as equipes de revezamento para as Olímpiadas, um objetivo muito tangível, dada a presença e desempenho fenomenal dos nossos Nicholas Santos, Gabrielle Roncatto e Etiene Medeiros nestas equipes.

Nicholas também é uma das grandes apostas do nado borboleta. No Maria Lenk, chegou em primeiro nos 50m borboleta e ainda por cima, cravou o melhor tempo mundial da prova em 2015: 22s90.

A Gabi foi uma das integrantes do time que bateu a prova que era, praticamente, um dos tabus da natação brasileira: o 4x200m feminino. O feito foi realizado no último Maria Lenk e com um senhor tempo, diga-se de passagem: 8’03’22.

A Etiene… vish! Escolher algo para falar dela é difícil: Ela, simplesmente, garantiu o pódio em praticamente todas as competições do ano. O último feito dela, em Toronto, foi trazer 4 medalhas para casa. 1 ouro, 1 prata e 2 bronzes. O ouro dela, primeiro da natação brasileira feminina no Pan-Americano, veio numa das provas mais disputadas da competição: Os 100m costas.

A Alessandra Marchioro e o Luiz Rogério Arapiraca também estão representando bonito: eles estão elevando o nível dentro das competições e nos treinos, tudo pelas Olímpiadas.

Por fim, temos nossas especialistas em provas de águas abertas: a Poliana Okimoto e Ana Marcela.

A Poliana vem arrebentando, sagrando-se a campeã dos 1500m livres no Maria Lenk e um incrível 4º no Copa do Mundo de Maratona Aquática. O Instagram dela está repleto de fotos que mostram o quão sério ela leva os seus treinos. Ou seja, a competição tem muito o que se preocupar.

Por fim, a Ana Marcela, reconhecida no final do ano passado pela FINA como a melhor nadadora de águas abertas do mundo, também está dando show por onde passa: Recentemente, subiu ao ponto mais alto do pódio na etapa húngara da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas!

Viu só a importância de Kazan para os nossos nadadores? Não dá para perder esse campeonato por nada, não é mesmo?

Boa sorte para todos! Bora Brasil, bora Speedo Elite Team!

Correr, sem perder a gentileza.

25
jul 2015

 

25_07_blog_corrida

Correr virou um hábito para muitos brasileiros. É gente correndo pra cá, gente correndo pra lá e, de vez em quando, se forma um congestionamento de corredores, como não se vê nem no trânsito.

E é por isso mesmo, que não faz mal conhecer algumas regrinhas de etiqueta durante a corrida. Vamos lá:

1 – Os parques e ruas não são seus. São de todos. Quem está correndo num ritmo mais acelerado precisa, sempre, prestar a atenção e respeitar quem corre e anda devagar. Cuidado com os esbarrões!

2 – E já que estamos falando sobre ruas, procure correr nas calçadas, de preferência nas mais amplas e respeitando a regra anterior. Caso você tenha que ir para o asfalto, atenção redobrada nas curvas com fluxo contrário ao que você está correndo. Você não quer dar de cara num carro e nem o motorista quer que isso aconteça. Lembre-se: respeito é uma via de mão dupla.

3 – Ah! Nunca se esqueça de atravessar na faixa e respeitar as sinalizações.

4 – Conheça as regras referentes as ciclovias da sua região. Algumas cidades permitem que as pessoas corram nesses espaços, outras, proíbem a pratica, destinando as faixas única e exclusivamente para as bicicletas.

5 – Correr ouvindo música pode ser muito bom. E também pode dar muito errado. Em lugares onde o fluxo de pessoas é maior, recomenda-se deixar os fones em casa. Você pode se distrair escutando a sua música favorita e acabar trombando em alguém ou algo pior.

Viu só? Como tudo na vida, correr também é uma questão de bom senso. Respeitando o próximo, todo mundo aproveita e você consegue correr feliz e focado. Siga as dicas e bons treinos!

 

 

Speedo Run Series: Começando a corrida com o pé direito

16
jul 2015

16_07_blog_corrida

A 1a etapa da Speedo Run Series ficou marcada pela excelente performance de pessoas comuns, gente como você, que vestiu a camisa da superação e deu o melhor de si.

Agora é a hora de elevar o jogo e fazer ainda mais bonito na 2a etapa da corrida, que ocorrerá no dia 30/08, em São Paulo. Quer saber como? A Speedo explica:

1 – O treino

A primeira coisa que você vai precisar é de regularidade. Um bom condicionamento físico, normalmente, é fruto de treinamento constante. Se a vida está muito agitada, você vai ter que, no mínimo, separar tempo para três treinos semanais.

Alterne os exercícios, faça treinos intervalados e de intensidade. Um exemplo de treino intervalado é aquele que começa com 10 minutos de caminhada, para aquecer os músculos, seguido de 30 minutos divididos em séries de 5 min, dos quais, 3 você passa caminhando e corre por 2.

Ah, não fique só correndo na esteira. Conforme explicamos no post anterior da Speedo Run Series, a superfície de uma rua e de uma esteira são bem diferentes. Seu pé tem que se adaptar a irregularidade do asfalto.

Complete a rotina preparatória com uma alimentação saudável (procure ajuda de um especialista se preciso) e faça musculação. Corridas de 5Km ou mais, tendem a desgastar muito os membros inferiores, por isso, você vai precisar condicionar bem os músculos do quadríceps, glúteos, panturrilha e os posteriores da coxa.

E nunca se esqueça de contar com o acompanhamento de um profissional qualificado, que possa identificar suas características e lhe indicar outros exercícios complementares.

2 – Antes da Corrida

Alguns dias antes, faça o percurso da prova por conta própria. Identifique onde o seu desempenho é mais alto e onde ele é mais baixo. Elabore a sua estratégia em cima dessa informação.

Na data da corrida, chegue cedo. Bem cedo. Parece algo que se fala todo dia, para qualquer coisa, mas é um conselho valioso em véspera de prova. Quanto antes você chegar, mais próximo da linha de largado ficará. Menos gente para ultrapassar e esbarrar em você, ou seja, tempos menores.

Lembre-se de tomar bastante água antes de começar a corrida e faça um bom aquecimento, variando a intensidade, para elevar a frequência cardíaca e ativar os músculos do corpo.

3 – Durante a Corrida

É hora de colocar as pernas para trabalharem! No momento da largada, comece bem forte. Procure abrir o máximo de distância que conseguir entre você e os pelotões. O seu objetivo inicial é conseguir um bom espaço para diminuir um pouco o ritmo e manter essa frequência pelo restante da prova. Esses primeiros 500m serão essenciais.

Avalie a necessidade de ultrapassar os adversários. Às vezes, é melhor guardar o fôlego para fazê-lo em momentos estratégicos, como durante retas longas e planas e, no fim da maratona. Curvas, subidas e descidas são pontos traiçoeiros, você pode acabar sendo surpreendido, perder posições e até segundos preciosos.

E aí, pronto para outra? Dia 30/08 estaremos te esperando em São Paulo para a 2etapa da Speedo Run Series. Coloque o preparo em dia e vá lá dar um show!

Natação durante inverno: Pra não deixar a saúde esfriar!

03
jul 2015

10_07_blog_treino_inverno

Parece uma missão impossível, mas garantimos para você: Nadar durante o inverno faz um bem danado para o seu metabolismo.

É verdade! E, especialmente verdadeiro, para quem tem problemas respiratórios, que são, ironicamente, aqueles que mais frequentemente interrompem a prática durante essa estação.

Durante o inverno, a umidade do ar cai muito, o que resulta no aumento de casos de distúrbios respiratórios. Porém, nas piscinas, o vapor que emana da água umidifica o ambiente, ajudando a evitar as lesões e infecções que acometem as vias nasais.

Outras vantagens da natação se encontram nas propriedades físicas da água: O empuxo, aquela sensação de leveza dentro d`água, é uma força que atua contra a gravidade e aumenta a extensão dos movimentos da musculatura do tronco, o que facilita a inspiração.

Por outro lado, a pressão hidrostática, pressiona os músculos da respiração, acabando por facilitar a saída do ar do pulmão, ou seja, a expiração.

Ambos processos beneficiam os sistemas cardiorrespiratório e imunológico, dando um belo upgrade na saúde do nadador.

Se preparando para entrar na piscina no inverno:

Para poder aproveitar todas essas vantagens no inverno, tudo o que você precisa fazer é tomar alguns cuidados, em especial, com o risco de choque térmico.

1 – Procure por uma piscina coberta e com um bom sistema de isolamento;

2 – Deixe um bom e quentinho roupão por perto. Na hora que sair da piscina, trate de vesti-lo e siga para o vestiário;

3 – Evite tomar um banho muito quente. Deixe a temperatura do chuveiro o mais próxima possível da água da piscina;

4 – Seque muito bem os cabelos e ouvidos. Tem secador de cabelo? Melhor ainda;

5 – Agasalhe-se muito bem antes de sair do vestuário. O corpo tende a perder calor pelas extremidades. Meias e luvas são muito bem vindas!

E é isso! Se atentando a alguns pontinhos, você pode entrar na piscina sem medo, durante o inverno. Bons treinos!

Travessia marítima

26
jun 2015

26_06_blog_natacao

 

A piscina é seu habitat natural, mas, depois de enfrentar diversas braçadas e raias, você quer superar outros desafios, certo? Mudar o cenário pode ser uma das alternativas, você pode se aventurar na travessia marítima.

Nadar em mar aberto e na piscina são modalidades bem diferentes. Você precisa se precaver ainda mais dos obstáculos que terá que enfrentar em mar aberto.

Há muitas diferenças entre um e outro, sendo algumas negativas e outras positivas. No mar você não consegue enxergar o fundo, além disso, a água apresenta diversas tonalidades que podem gerar um nervosismo para o atleta, por isso, se acalme na hora de nadar.

Mas não são só pontos negativos que cercam a travessia marítima. Por causa do sal a água do mar é mais densa, facilitando assim a flutuação do corpo. Além disso, a velocidade do nado no mar tende a ser maior do que o da piscina.

Antes de participar da travessia, ou de qualquer outra prova, treine bastante. Travessias de 5.000m requerem, pelo menos, um treino regular de quatro à seis horas, percorrendo, pelo menos, 50% da distância do percurso que você irá atravessar. Não faça seus treinamentos sozinhos, tenha sempre o auxílio de um treinador e, se for o caso, realize exames médicos antes da prova.

Se for sua primeira travessia marítima, peça que seu treinador te acompanhe. Oriente-se por um ponto de referência para não se perder, como barcos, competidores ou outro ponto que te deixe mais confortável.

Depois de sua travessia, e de tudo dar certo, providencie um agasalho. Hidrate-se com isotônicos e depois com água. Beba nesta ordem, senão seu corpo, com estômago vazio não absorverá tão bem os líquidos. Faça um alongamento leve e depois de 20 minutos repita os movimentos com mais intensidade.

A travessia marítima elevará seu extinto de campeão e te dará forças para lutar dentro do mar sempre. Para isso se prepare bem e tenha uma ótima travessia!