Domingo tem Campeonato Brasileiro de Águas Abertas em Brasília

18
set 2014

O calendário nacional das águas abertas chega a quarta etapa no próximo domingo. Brasília recebe a prova de 10 quilômetros do Campeonato Brasileiro e mais a prova de 5 quilômetros da Copa Brasil da modalidade. O evento acontecerá no Lago Paranoá na frente do Clube Naval de Brasília.

Ano passado, Brasília sediou uma das mais criticadas etapas do calendário nacional e, ao que tudo indica, um novo sistema de controle, arbitragem e logística foi montado para este ano.

Ana Marcela Cunha, vencedora das três primeiras etapas e líder isolada do Campeonato Brasileiro, estará na prova. Ana Marcela retorna da Itália onde na semana passada se sagrou campeã da Travessia Capri Nápoli batendo o recorde da distância. Ela também é a líder do ranking mundial da Copa do Mundo da FINA. Ana Marcela só precisa largar na penúltima prova do calendário internacional.

Se tudo correr bem, o Brasil vai ter o primeiro campeão mundial do Circuito da Copa do Mundo. Ana Marcela já venceu duas vezes o circuito feminino e Poliana Okimoto uma vez.

Confira o percurso das provas a serem realizadas no Lago Paranoá em Brasília no domingo aqui.

Resultados do calendário nacional até agora:

1a etapa – Porto Belo, Santa Catarina, 5 K
Feminino
1o Ana Marcela Cunha do SESI-SP

2a etapa – São Bernardo do Campo, São Paulo 5 K
Feminino
1o Ana Marcela Cunha do SESI-SP

3a etapa – Angra dos Reis, Rio de Janeiro 5 K
Feminino
1o Ana Marcela da Cunha da SESI-SP

Depois de Brasília, o Campeonato Brasileiro de Águas Abertas terá as suas duas últimas provas da temporada nos dias 13 e 15 de novembro em Inema na Bahia.

Brasil é campeão do Raia Rápida 2014 com melhor tempo do mundo no revezamento.

15
set 2014

O Brasil é campeão pela primeira vez do Raia Rápida. A equipe brasileira venceu duas das quatro provas individuais chegando a três finais e completou o dia conquistando o revezamento com o melhor tempo da história do revezamento 4×50 medley masculino.

50 BORBOLETA

Foi um show de Nicholas Santos, capaz de vencer todas as baterias e terminar com uma vitória com 22:97, terceiro tempo do mundo. Na sua frente, apenas o ucraniano Andrey Govorov 22:87 e o inglês Ben Proud com 22:93, ambos feitos no Campeonato Europeu.

Nicholas teve a capacidade de administrar nas três baterias marcando 23:74, 23:76 e o tempo da vitória com 22:97. O adversário é conhecido, o americano Eugene Godsoe, vice campeão mundial da prova e que fez a final do ano passado com Nicholas.
Com o título, Nicholas é o primeiro (e único) bi campeão do Raia Rápida.

1a bateria
1o Nicholas Santos 23:74
2o Eugene Godsoe 23:91
3o Jayden Hadler 24:32
4o Giulio Zorzi 24:44

2a bateria
1o Nicholas Santos 23:76
2o Eugene Godsoe 23:86
3o Jayden Hadler 24:30

3a bateria
1o Nicholas Santos 22:97
2o Eugene Godsoe 23:79

REVEZAMENTO 4×50 MEDLEY

Pela contagem de pontos ao final das provas individuais, apenas o título servia ao Brasil. Brasil, Estados Unidos, África do Sul, qualquer uma destas três equipes, quem vencesse o revezamento seria campeã do Raia Rápido 2014. Apenas a Austrália, mesmo que vencesse não teria chances de chegar ao título, e na prova mostrou que isso não seria possível.

O costas foi equilibrado, trouxe de volta o australiano Daniel Arnamnart e o americano David Plummer eliminados pelas escorregadas e colocou a dupla finalista. Com início equilibrado, o sul-africano Gehard Zandberg cresceu no final e tocou na frente com 25:24, Estados Unidos em segundo com 25:39 e Guilherme Guido em terceiro com 25:47.

O Brasil foi tomar a frente com Felipe França. O parcial de 26:76 contra 27:59 de Cameron van der Burgh já nos dava a liderança quando Nicholas Santos pulou na água.

Nicholas não conseguiu repetir os 22 da prova individual, mas mesmo assim conseguiu segurar a liderança com um parcial de 23:37. Aqui foi os Estados Unidos que cresceu com o melhor parcial de borboleta de Eugene Godsoe com 23:16.

Quando Matheus Santana pulou na água, o Brasil era líder com 84 centésimos de segundo de vantagem sobre os Estados Unidos. Aí vale recordar a pergunta da Best Swimming na entrevista coletiva de quinta-feira para Matheus: “Você vai receber o revezamento na frente e esta responsabilidade de fechar?”. A resposta foi simples, direta e objetiva: “Se eu receber na frente, o Brasil vai ser campeão”.

E foi!

Matheus fechou para 22:00, os americanos chegaram perto, muito perto. Anthony Ervin vinha crescendo muito e fechou com 21:31. Brasil campeão com 1:37:60, Estados Unidos vice 1:37:75, Austrália em terceiro 1:39:15, Austrália fechando raia, mais uma vfez, 1:42:29.

O tempo do Brasil é o novo melhor tempo da história superando os 1:38:23 feitos pela Austrália no ano passado. O 4×50 medley em piscina longa não tem recorde mundial, apenas é reconhecido como o melhor tempo do mundo.

O Brasil pela primeira vez, na terceira edição do Raia Rápida é o campeão geral da competição.

Parciais
Brasil –
Guilherme Guido 25:47, Felipe França 26:76, Nicholas Santos 23:37, Matheus Santana 22:00

Por equipes tempos oficiais:
África do Sul – 25:24, 52:83, 1:17:21, 1:39:15
Austrália – 26:20, 54:60, 1:19:02, 1:42:29
Brasil – 25:47, 52:23, 1:15:60, 1:37:60
Estados Unidos – 25:39, 53:28, 1:16:44, 1:37:75

Classificação final do Raia Rápida
1o Brasil
2o Estados Unidos
3o África do Sul
4o Austrália

Fonte: Best Swimming

Tem “pé chato”? Pisada para dentro pode causar entorses de tornozelo

15
set 2014

Correr ou caminhar na areia é um bom exercício para quem tem pé chato ou plano (Foto: Getty Images)

 

As pessoas portadoras de pés planos, conhecidos como pés chatos, têm a tendência de pisar para dentro, com a borda interna dos pés, que nesse caso são chamados de pronados. Isso causa desequilíbrio na pisada e na marcha, provocando várias lesões, como entorses de tornozelo, que ocorrem com mais frequência.

É necessário um trabalho de fortalecimento dos músculos envolvidos na articulação do tornozelo e de toda a perna. Por isso é fundamental um trabalho de equilíbrio e propriocepção para ativar as reações de equilíbrio a fim de diminuir ou zerar os entorses.

Ao detectar pés planos no bebê, os pais devem ficar alertas, conversar com o médico para trabalhar os pés da criança desde cedo, para prepará-la para a marcha. O tratamento inclui caminhar em diferentes solos com diferentes texturas e irregularidades, treinamento com bolas e apanhar objetos com os pés.

Na natação, a criança trabalha os pés e o equilíbrio de todo o corpo, em atividade de psicomotricidade. O uso de botas ortopédicas e palmilhas é muito discutido, cada caso é um caso, mas os exercícios citados são imprescindíveis.

O caminhar e o brincar, além de correr na areia fofa, são alguns dos melhores exercícios. O andar descalço em diferentes tapetes, subir e descer obstáculos consiste em um trabalho psicomotor, muito indicado para fortalecer e dar mobilidade aos pés.

A criança vai crescendo com trabalho direcionado, visando aumentar o arco plantar, ou seja, a curvatura da sola dos pés. Quando recebemos o paciente adulto, orientamos a realização de que devem ser feitos pelo resto da vida para fortalecimento e alongamento muscular e flexibilidade articular, mas não é possível haver ganho de arco plantar.

Os pacientes relatam casos de recidivas de entorse, às vezes com consequências pequenas, como edema e dor, e muitas vezes com esgarçamento ou ruptura de tendões ou fratura óssea, o que acarreta transtornos na vida pessoal e laboral das pessoas.

As mulheres que adoram saltos muito altos devem ter cuidado redobrado ao caminhar nas calçadas irregulares, ao subir e descer escadas, dançar e ao realizar os movimentos da vida diária. O melhor seria diminuir a altura do salto, mas para muitas isso é impossível por causa da vaidade. Pode haver exigência de salto alto para trabalhar, mas sempre de uma altura considerada normal, a não ser para as modelos durante os desfiles.

Há várias ocorrências de entorses ao descer escadas ou caminhar nas ruas. Para os homens é mais fácil porque andam de sapatos baixos ou tênis e precisam ter cuidado e atenção por onde pisam. O conselho é andar descalço em casa, caminhar na ponta dos pés, nos calcanhares, e ao acordar fazer exercícios com os pés, flexionando-os para baixo e para cima, exercícios circulares de fora para dentro e de dentro para fora, diariamente.

Recebemos uma paciente com histórico de entorses de repetição e a última ocorrência foi ao descer escadas com salto muito alto. Sorte que desmaiou de dor no último degrau, senão o estrago seria muito maior. Após um mês indicou-se fisioterapia aquática, e a paciente apresenta o pé edemaciado, ou seja, muito inchado, sente muita dor e utiliza uma muleta para deambular.

Assim que acontece um entorse, o melhor é colocar gelo na hora por 20 minutos e repetir mais algumas vezes, nas 24 horas subsequentes. Se a dor persistir e o pé ficar cada vez mais inchado e vermelho, deve-se ir a uma emergência médica para ser examinado e tirar raio-x para avaliação médica.

A recomendação é colocar gelo e fazer contraste quente e frio até o edema e a dor cederem, o que pode demorar de um a três meses, dependendo da gravidade do entorse. A fisioterapia aquática é o tratamento mais indicado devido às propriedades físicas da água, como a pressão hidrostática, que age como uma meia elástica, exercendo muita pressão no fundo e diminuindo na superfície, o que é uma drenagem linfática natural.

O empuxo diminui a tensão nas articulações e, em conjunto com a pressão hidrostática, ajuda a reduzir o edema e a dor, aumentando assim a mobilidade do tornozelo. O fisioterapeuta auxilia manualmente com técnicas específicas para a diminuição do quadro álgico e do edema e para o ganho de arco.

O treino de marcha começa a partir dessa fase, com a atuação da força da gravidade progressivamente. Vamos observar por onde andamos, assim como descer e subir escadas olhando para a frente sem virar o corpo para evitar entorses e problemas mais sérios.

Fonte: Eu Atleta

Frio não deve ser impedimento para que as crianças façam natação

10
set 2014

Melhora do condicionamento físico e da coordenação motora, prevenção da obesidade, além de ajudar na disciplina e na socialização, entre tantos outros benefícios. As atividades físicas são essenciais para o desenvolvimento das crianças, que devem ser incentivadas a praticar mais de uma modalidade durante a infância.

A natação é uma das mais indicadas para os pequenos, pois, além de ser um dos esportes mais completos para o ganho de aptidão física, também auxilia na prevenção de doenças como gripes e resfriados, já que fortalece o sistema imunológico. Por isso mesmo, sua prática não deve ser abandonada quando o calor vai embora. Ao contrário:segundo especialistas, ela é recomendada para pessoas de todas as idades nessa época.

— Como nas estações mais frias do ano a umidade do ar diminui, o vapor de água eliminado pelas piscinas umidifica
o ambiente, evitando lesões na mucosa do trato respiratório e, consequentemente, infecções virais — ressalta o pediatra Alexandre Netto.

Outra vantagem é que, como no inverno são comuns temperaturas baixas ou chuva, dificultando as aulas ao ar livre, as piscinas internas favorecem a continuidade da atividade física mesmo nos dias mais feios. A maior parte dos clubes e escolas de natação oferece ambientes vedados, que impedem a entrada de correntes de ar e garantem o conforto.

Embora seja altamente recomendada, a natação não pode ser imposta. Muitas crianças começam quando ainda engatinham, acompanhadas dos pais, o que facilita a evolução ao longo dos anos e o não abandono da prática.

Segundo a Academia Americana de Pediatria, 75% das crianças obrigadas a fazer esportes de que não gostam, até os 15 anos, param de praticar e ficam sedentárias.

As crianças precisam da presença de alguém em quem confiem, seja o professor, sejam os pais. Essa relação de confiança é fundamental. Assim, elas aprendem com mais segurança, sem medo do desconhecido — diz a professora de natação Marcela Leite.

Não é de espantar quando se fala que a natação é um esporte completo: há várias evidências de que, além de dar um upgrade na saúde, ela ajuda na prevenção e recuperação de doenças como asma, bronquite, problemas ortopédicos e, quem diria, até no processo de alfabetização: uma série de estudos, como o realizado recentemente pela Universidade Castelo Branco (RJ), comprovam que crianças iniciadas em programas de adaptação ao meio líquido em idade pré-escolar têm um rendimento mais satisfatório durante seu processo de alfabetização.

PRINCIPAIS CUIDADOS
1) Fique atento à entrada e saída da água: deixe os chinelos e o roupão na beira da piscina.
2) Regule o chuveiro para ficar com a temperatura próxima à da água da piscina. Evite banhos muito quentes.
3) Antes de sair do vestiário, enxugue bem os cabelos, o rosto e os ouvidos. Um secador de cabelos sempre é bem-vindo.
4) Agasalhe a criança (recomenda-se moletom de capuz) e, mesmo que prefira chinelos, não deixe de calçar meias para aquecer os pés, pois o corpo perde calor, inicialmente, nas extremidades.
5) Quando a criança estiver com febre, diarreia ou vômito, reações vacinais ou dor de ouvido, entre outros sintomas, a atividade física deve ser suspensa até a melhora do quadro.

Fonte: Zh Clicrbs

Inspirada por Ayrton Senna, Ana Marcela faz história

08
set 2014

Ana Marcela Cunha conquistou ontem um resultado histórico para as águas abertas do Brasil. A nadadora venceu a tradicional e concorridíssima travessia Capri-Napoli e bateu o recorde da prova ao nadar os 36 km da maratona em 6h24min45s, quase sete minutos mais veloz que a antiga marca da italiana Martina Grimaldi. Considerada como uma das mais desafiadores do mundo, a Travessia Capri-Napoli liga a bela ilha de Capri com a costa da cidade de Nápoles e tem mais de 60 anos de história. Além disso, esta prova faz parte do calendário do Grand Prix da Fina. Para vencer, Ana Marcela tentou nadar o máximo do tempo possível no pelotão dos homens.

“Estou exausta, mas absurdamente feliz pelo resultado. É sensacional você acreditar em um sonho e conseguir alcançá-lo. Esta prova é muito desgastante e um desafio para poucos. Tive que impor um ritmo forte para poder acompanhar os homens sem perder o pelotão de frente. O mar não estava fácil e água muito salgada. Mas felizmente deu tudo certo e a homenagem a Ayrton Senna se completa com vitória e recorde, do jeito que ela gostava”, disse a nadadora, que nadou com uma touca inspirada no capacete do tricampeão mundial de Fórmula 1 após vencer a prova.

Esta foi a primeira vez que um(a) nadador(a) brasileiro(a) venceu esta tradicional prova. Grandes nomes das águas abertas do país, como Igor de Souza, haviam dado suas braçadas nas águas italianas, porém, jamais havia vencido esta prova. A vitória com recorde na Itália também coroa o melhor momento da carreira da nadadora baiana.

Desde 2013 ela acumula conquistas e resultados expressivos. No Mundial de Barcelona foi vice-campeã nos 10 km e terceira colocada nos 5 km, subiu ao pódio em provas da Copa do Mundo e foi campeã do Circuito Brasileiro de águas abertas. Este ano já conquistou matematicamente o tricampeonato na Copa do Mundo de 10 km da Fina e lidera o circuito brasileiro. E com o triunfo em Capri-Nápoles, ela adiciona mais uma marca para a carreira: foi sua primeira vitória no circuito Grand Prix da Fina, que contempla travessias com mais de 15 km de distância.

Fonte: Swim Channel